O atual governador Flávio Dino continua liderando em todas as pesquisas na disputa por uma vaga ao Senado Federal. Aliás, não existe nenhuma disputa. Só tem ele de candidato, embora o senador Roberto Rocha continue em segundo lugar não tão distante do seu adversário.

Flávio Dino, Roberto Rocha e Edivaldo Holanda Júnior

O filho do ex-governador Luiz Rocha deve preferir buscar uma sigla para entrar na disputa ao cargo de governador, onde tem menos chances, e deve puxar votos para o filho, que vai buscar uma vaga à Câmara Federal. O que roberto não quer mesmo é disputar a senatoria contra Dino.

Na sua avaliação, a vaga de senador é casada com a de governador e quem tem o apoio da máquina do governo tem maiores chances. Esqueceu da sua própria luta e de Flávio Dino em 2014 sem o uso da máquina, sem apoio de prefeitos, deputados e senadores. Dino foi eleito no primeiro turno e Roberto saiu vitorioso contra os candidatos da máquina.

Outro exemplo aconteceu em 2006. O então governador José Reinaldo Tavares e a ampla maioria da classe política, notadamente os deputados e prefeitos, apoiaram o nome do ex-governador e ex-senador João Castelo. A oposição optou pelo ex-governador e ex-senador Epitácio Cafeteira. A máquina foi derrotada.

No atual cenário, Flávio Dino não tem mais situação tranquila e a cada levantamento vem descendo a ladeira. Nomes como o de Roseana Sarney e Edivaldo Holanda Júnior seriam alternativas viáveis, mas temem perder pra Dino e acabam perdendo uma excelente oportunidade.

Ainda sentado no trono, o governador deve sofrer abalos depois que deixar o cargo em 31 de março. Os políticos insatisfeitos (e não são poucos, não) e a população dirão como devem ser dado o tratamento ao mais mentiroso gestor de toda a história do Maranhão.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.