Que o vereador Paulo Victor foi escolhido pelo Palácio dos Leões como candidato a vereador não causa nenhuma surpresa. Mas as adesões que o concorrente tem recebido de um dia pro outro chamam a atenção. O que estaria correndo por detrás de toda essa movimentação?

O súbito crescimento da candidatura de Victor foi desenhado dentro do gabinete do vice-governador e candidato à sucessão de Flávio Dino, Carlos Brandão. Entre os novos aliados, surgiram conversas de uso dos recursos da Lei Aldir Blanc conveniadas com entidades apontadas pelos vereadores aliados, bem como a criação de uma bolsa emenda.

Vereadores Paulo Victor e Aldir Jr

Além disso, a promessa de que os favores maiores serão estendidos durante a eleição deste ano para governador, com a abertura dos cofres para que a ampla maioria dos vereadores possa fazer a campanha de Brandão, sem limites.

O pré-candidato de Flávio Dino quer, ao menos, reduzir a vantagem de seus opositores em São Luís, senador Weverton Rocha e o ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Centenas de presidentes de União de Moradores serão indicados no mesmo pacote pelos vereadores.

Paulo Victor tinha, até o final do ano, o apoio de 15 vereadores e logo subiu para 18 (como mostra o outdoor acima), pulou para 21, podendo chegar a 23 até o final de janeiro. Por isso já tem uma emenda para a antecipar mais ainda a data da eleição.

Sabedor de que eleição da Câmara é uma incógnita, Paulo Victor tratou, via um aliado, de antecipar a data de dezembro de 2022 para abril do mesmo ano. Com a certeza da vitória, quer trazer o prazo para o começo de fevereiro e não deixar o trunfo escapulir.

Aqui temos um exemplo vivo de como será a disputa para o cargo de governador, com Carlos Brandão sentado no trono maior do Palácios dos Leões. Seus opositores devem ficar atentos ao uso descarado da máquina estatal. Todo cuidado é pouco!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.