Depois de perder na Justiça por fatiar ilegalmente o repasse da Câmara Municipal, o prefeito de Raposa, Eudes Barros encontrou uma nova fórmula para tentar retaliar o presidente da Câmara Municipal, vereador Beka Rodrigues.

Ele ingressou na Justiça com um Mandado de Segurança e pedido de liminar para que o presidente da Casa coloque, de imediato em pauta o Projeto de Lei, que prejudica sensivelmente toda a população, já que aumenta de forma considerável, o valor da conta de água, por parte do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE).

A causa foi contratada junto ao famoso escritório de advocacia Pedro Braide Ribeiro, no valor de R$ 23 mil, o que, por si só, já configura o uso do dinheiro público exatamente numa ação que visa única e exclusivamente onerar o bolso do pobre contribuinte raposense. Tal recurso deveria está servindo era para auxiliar os menos favorecidos da cidade.

Para que se tenha uma ideia, o projeto do prefeito, além de aumentar a tarifa de água, traz algumas maléficas pegadinhas. Destaca, por exemplo no seu artigo 73, que a tarifa de esgoto, seja cobrada na base de 50% do valor da fatura da água.
Também estabelece a instalação de hidrômetros.

O mesmo artigo que prevê aumento das tarifas de água e esgoto e obriga todo consumidor a comprar uma caixa d’água com capacidade para mil litros.
O que o presidente da Câmara está querendo, na realidade, é discutir a matéria com a sociedade raposense, porque é ela quem vai arcar com mais esse pesado ônus imposto pela atual administração.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.