Do lado do pré-candidato do Palácio dos Leões, Carlos Brandão, a sucessão de Flávio Dino virou duelo de martelo, foice, facada e pontapés para todos os lados. O mais importante é ganhar de qualquer jeito e fazer valer a força do governador Flávio Dino.

A primeira vítima foi o deputado federal Josimar do Maranhãozinho, que foi alvo de uma operação completamente equivocada e ilegal, mas fortemente armada pela terra e nos ares. O objetivo foi muito claro: intimidar, fazer o parlamentar recuar. O tiro saiu pela culatra e Josimar ganhou forças e novos apoios.

Agora, soltaram os leões do palácio governamental para destruir e esfacelar o grupo do senador Weverton Rocha, com tentativa de comprar seus aliados com ofertas de cargos agora e depois e até outras nada republicanas.

Essa tarefa tem sido executada pelo próprio governador, que passou a usar métodos que abominava no passado. Já tentou seduzir os principais líderes e partidos do projeto “Maranhão Mais Feliz”, diante dos olhares perplexos de Weverton Rocha e do silêncio do grupo que pode sair vencedor.

A forma como tentam implodir o grupo do senador do PDT é a mais baixa possível, o que pode ocasionar um rompimento sem precedentes e perigoso, até mesmo para os plano de Flávio Dino.

Imaginem uma grande união dos traídos, como os senadores Roberto Rocha, Weverton Rocha, deputado federal Josimar do Maranhãozinho, e da perseguida Roseana Sarney? Inês estará morta antes de nascer.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.