Edivaldo Holanda Júnior cumpre a primeira etapa do seu projeto e leva o nome para o Maranhão conhecer o que fez como prefeito de São Luís. Claro que ainda não é o suficiente para chegar no primeiro turno entre os dois primeiros colados e encarar a disputa no segundo turno.

Além da ausência de estrutura para crescer, falta o apoio político, que hoje se resume aos deputados Edilázio Júnior e César Pires, além de dois pingados de ex-prefeitos. Mas o leitor amigo pode perguntar e por qual motivo Holandinha aparece bem nas pesquisas?

Fácil a resposta. As pesquisas feitas até agora abrangem uma ampla maioria das cidades da Região Metropolitana, notadamente São Luís, onde o pré-candidato a governador administrou nos  últimos oito anos e saiu bem avaliado.

O titular do Blog do Luís Cardoso teve acesso a várias pesquisas localizadas nas principais e médias cidades. O nome Edivaldo Holanda aparece, sim, mas sempre em quarto ou quinto colocado.

Então, o que pretende o ex-prefeito da capital insistindo numa campanha que não lhe cabe? Exatamente o que pensou o leitor: ficar na mídia e passar a ser conhecido como um bom gestor de São Luís. Só isso? Claro que não.

Edivaldo Holanda tem um projeto que passa pelo resultado eleitoral de 2022 na capital. Ao que tudo indica, deve ser o mais votado para governador em São Luís. e seu nome estará cacifado para 2024.

Holandinha aposta que, passado o período da vacinação, a gestão de Eduardo Braide tende a ser um fracasso, considerando alguns fatores que não o ajudarão a deslanchar a gestão na cidade.

Braide chegou ao cargo de prefeito com a ajuda financeira e eleitoral de lideranças como os senadores Roberto Rocha, Weverton Rocha, Eliziane Gama, da maioria da bancada federal e de deputados estaduais com votos na ilha, a exemplo de Neto Evangelista, Wellington do Curso, Yglésio Moisés, dezenas de vereadores e, é claro, com a omissão do então prefeito Holandinha.

Depois que assumiu o cargo, Eduardo Braide ignorou todos eles, esquecendo de acordos e negando a existência deles. Ao contrário: passou a tesoura nos aliados dos que o ajudaram a ganhar a eleição, que ocupavam cargos desde a gestão de Edivaldo Holanda.

E mais que isso: escolheu o irmão Fernando para ser o deputado estadual mais votado da ilha. Encheu os cargos com suplentes de vereador com a condição de votar no mano querido. O resto, o resto pouco importa.

Então, sabendo que a popularidade de Braide vai sumir antes de 2022 abrir as portas, Edivaldo Holanda já vai se preparando para reassumir o cargo de prefeito em janeiro de 2025.

É só aguardar!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.