Reter vacinas no momento em que milhares de pessoas estão morrendo no Maranhão é crime contra a vida humana. Hoje, o governador Flávio Dino e o secretário de Saúde, Carlos Lula foram denunciados por guardarem quase 900 mil vacinas contra a covid-19.

Carlos Lula e Flávio Dino

O deputado Wellington do Curso juntou dados do Governo Federal que apontam que o Maranhão recebeu até o dia 9 deste mês de junho 3.437.9oo doses de vacina e só distribuiu aos prefeitos 2.567.842, ficando como reserva 870.058. Onde estão essas doses, senhor governador e senhor secretário?

O parlamentar apresentou uma indicação para o governador solicitando a imediata liberação das vacinas retidas. Enquanto isso, cidades como Balsas e São Pedro dos Crentes não vinham recebendo o imunizante que salva vidas.

Não custa recordar que durante todo o dia de sábado, das 8h da manhã até ao meio dia de domingo o governo fez um mutirão de vacinação atendendo a Paço do Lumiar e São José de Ribamar, usando quase 5 mil vacinas destinadas pelo Ministério da Saúde às quatro cidades da Grande São Luís, usurpando da competência dos municípios.

O próprio secretário de Saúde, Carlos Lula, chegou ao absurdo de dizer que era preciso esvaziar o estoque das 300 mil vacinas doados pelo governo federal aos quatro municípios. Então por que não entregou as vacinas aos prefeitos e preferiu se apossar do imunizante numa campanha fracassada?

Estaria a dupla fazendo campanha eleitoral antecipada? Dino é candidato a senador e Lula a deputado estadual. Quantas pessoas morrerão por falta de vacinas enquanto o governo do Maranhão retém quase 900 mil vacinas?

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.