Manifestantes e policiais entraram em confronto em Assunção, capital do Paraguai, na noite de sexta-feira (5), depois de um protesto contra a forma como o governo tem gerenciado a pandemia de Covid-19. Ao menos uma pessoa morreu, e 20 ficaram feridas.

O ministro de Saúde do país renunciou pouco antes do protesto, que reuniu cerca de 5 mil pessoas, de acordo com dados do jornal local “ABC Color”. O presidente Benítez nomeou Julio Borba como chefe da pasta e afirmou que começaria a buscar remédios imediatamente.

Também neste sábado, um dos ministros do governo anunciou que o presidente ouviu as demandas dos manifestantes e vai fazer mudanças na administração.

As infecções por coronavírus no Paraguai atingiram níveis recorde. Os hospitais estão perto do colapso. Nos últimos sete dias, a taxa de infecção no Paraguai ficou em cerca de 115 por 100 mil habitantes. O país vacinou menos de 0,1% de sua população.

Os protestos de sexta

Nos protestos desta sexta, a polícia fez disparos com balas de borracha e usou bombas de gás nos manifestantes ao redor do prédio do Congresso do país.

As pessoas que participavam do ato responderam com pedras, barricadas com fogo nas ruas e quebraram algumas das barreiras de segurança.

Ao menos uma pessoa morreu e 18 ficaram feridas, de acordo com a imprensa paraguaia.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.