O nome da senadora Eliziane Gama começa a ganhar corpo como provável opção para preservar a união no grupo governista. Com a eleição do segundo turno em São Luís a fissura ficou exposta com o grupo do governo rachado entre os candidatos Eduardo Braide, da oposição, e Duarte Júnior, da situação.

Durante o segundo turno, farpas e e fagulhas se espalharam no campo do governo liderado por Flávio Dino. De um lado, o senador Weverton Rocha e do outro o vice-governador Carlos Brandão numa disputa antecipada para governador em 2022. Até Flávio Dino, que deveria ficar distante, entrou na briga.

Com as duas candidaturas postas (WR e CB), o grupo governista segue dividido e disposto a declarar guerra aberta um ao o outro. E, ao que parece, dificilmente estarão unidos se o nome for de Weverton Rocha ou de Carlos Brandão.

O único jeito para garantir a unidade é uma opção que transite bem entre os aliados e tenha nome político estadualizado para ganhar a eleição, considerando que a oposição no Maranhão se resume a dois gatos pingados do grupo Sarney.

Por essa razão, o nome de Eliziane Gama passou s ser cogitado. Além de senadora da República, tem o peso das nações evangélicas em todo o estado, até por ter sido votada em todos os municípios do Maranhão, onde venceu em quase todos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.