Como era esperado, forças governistas decidiram exibir o poder para ganhar a eleição no principal colégio eleitoral do Maranhão: a capital São Luís. O jogo é bruto e começou o ataque trazendo lideranças pelo beiço.

A primeira vítima foi o ex-presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum, que foi investigado por crime de pedofilia e acabou preso por posse ilegal de arma. Uma outra investigação prossegue e o vereador não teve como reagir e aceitou a pressão, declarando seu voto para o candidato do governador, o deputado federal licenciado, Rubens Júnior.

O poder de fogo e aliciamento causou ainda mais uma baixa na pré-candidatura do juiz federal Carlos Madeira. Além de Astro de Ogum que já havia acertado apoio ao magistrado, veio na marra o Solidariedade e seus políticos de mandato, a exemplo da deputada Helena Duailibe, que apresentou como desculpa o fato de ter um sobrinho que é adjunto de Júnior na Secid.

16 secretários estaduais já manifestaram apoio ao candidato do PCdB na sucessão de Edivaldo Holanda Júnior e a maioria dos vereadores da capital prepara-se para informar a adesão ao candidato comunista. A próxima vítima será o deputado federal Josimar do Maranhãozinho, que é hoje uma das lideranças forte no Maranhão.

Mas a gula do plano governista pretende engolir também o PDT do atual prefeito e do senador Weverton Rocha, que é mais difícil de ser tragado por ter posições firmes e não se submeter a constrangimentos. Fonte segura e que não costuma falhar, informou hoje pela manhã ao Blog do Luis Cardoso  que a operação já deflagrada será concluída antes do primeiro sol de janeiro de 2020 raiar.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.