Presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Federal, o deputado Juscelino Filho (DEM-MA), embora considere graves as declarações do deputado Eduardo Bolsonaro (DEM) e atentem contra a Constituição, aos poucos vai aliviando a situação do filho do presidente Bolsonaro, diante do pedido de cassação de mandato a ser feito na próxima segunda-feira, dia 4, pela oposição.

Eduardo Bolsonaro sobre a possibilidade de nascer uma nova edição do AI-5 não foi bem digerida nos meios político, jurídico, empresarial e dentro da sociedade em geral. Por isso, os partido de oposição anunciaram o pedido de cassação do mandato do filho de Jair Bolsonaro.

O pedido será formulado ao Conselho de Ética, que tem uma prazo para analisar, deliberar pela abertura, acatando a sugestão, ou arquivar por não encontrar consistência. Pois é bem neste último item que Eduardo Bolsonaro pode escapar.

Dos atuais 21 membros do Conselho de Ética, a oposição tem apenas seis vagas. Além disso, Juscelino Filho é aliado do presidente da República e amigo de muitos ministros do atual governo, notadamente do ministro da Saúde, de onde ele tem conseguido muitas ações para suas bases políticas no Maranhão (na foto acima Juscelino com o ministro da Saúde em Imperatriz).

Agora, com esse poder de decisão em suas mãos, claro que sairá mais fortalecido para aumentar as barganhas e conseguir eleger um bom número de prefeitos agora em 2020, com a influência que aumentará junto ao governo de Bolsonaro.

Mesmo afirmando para o jornal A Folha de São Paulo que vai conduzir o pedido da oposição “de forma mais  isenta possível”, lembrou do pedido de desculpas feitas por Eduardo Bolsonaro  ” Às vezes, num momento ali sem pensar, fala da boca para fora algumas coisas. É do ser humano também”, aliviou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.