“Flávio Dino é um governador pusilânime, que vai obrigar seus aliados na Assembleia Legislativa a negar a sua própria obra e votar contra o povo maranhense na reforma previdenciária que o governo estadual fará em breve”, afirmou o deputado César Pires, em discurso na sessão desta terça-feira (13). Ele advertiu que os aliados do governador vão pagar um alto preço, pois serão obrigados a votar contra os interesses do povo para atender aos projetos pessoais do comunista.

Para César Pires, Flávio Dino apostou que Bolsonaro não conseguiria aprovar a reforma previdenciária, por isso orientou seus deputados federais e senadores a votarem contra a proposta que tanto condenou. Agora, com a real possibilidade de os Estados e municípios ficarem excluídos da matéria em votação no Congresso Nacional, ele terá que orientar a bancada governista na Assembleia a reforma na Previdência estadual.

“Flávio Dino gasta milhões de recursos públicos para vender sua imagem em nível nacional, enquanto tira 25% da saúde, descumpre decisões judiciais, gasta o dinheiro do Funbem e dos aposentados, retira verbas do Porto do Itaqui, quebra o Estado e dá calote em fornecedores. Ele não teve competência como gestor e agora terá que fazer também a reforma previdenciária que condenou, transferindo o desgaste para os seus aliados na Assembleia”, declarou César Pires. “Como o governador quer ser presidente do país se não consegue nem administrar com competência o Maranhão?” questionou.

Ao fazer o alerta, César Pires questionou os demais parlamentares, principalmente os do PDT e do PCdoB, cujos líderes criticaram e votaram contra a reforma previdenciária na Câmara Federal. “Tudo indica que o Senado não vai alterar o texto aprovado na Câmara e a matéria será remetida para os estados e municípios. E agora? Qual será o posicionamento da base governista neste plenário?”, indagou ele.

“Flávio Dino tem uma posição contrária à reforma de Bolsonaro, mas aqui exigirá o apoio dos seus aliados, que aceitam todos os desmandos do governador. Ele não teve a responsabilidade de gestor ao seu opor à reforma previdenciária, e agora vai cobrar o sacrifício da Assembleia e do povo do Maranhão”, alertou César Pires. “Vale a pena sacrificar o povo por uma ambição desmentida do governador? A fatura vem e alta para esse parlamento pagar pela incapacidade de gestão, de visão e pela ambição do governador”, finalizou.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.