Agora beirou ao ridículo! Era só o  que faltava. Depois de esculhambar o atual presidente da República em todos os instantes, agora o governador Flávio Dino colocou sua tropa de choque para fazer pior: impedir que Jair Bolsonaro coloque os pés em terras maranhenses.

E para surpresa geral, escalou o deputado federal Gastão Vieira para sugerir ao prefeito Edivaldo Holanda não participe da inauguração de obras federais em São Luís, prevista para agosto.

“Prefeito @EHolandaJr, o que @jairbolsonaro vem fazer aqui na inauguração da Rua Grande? Não fez nada, o dinheiro era da Dilma, quem ajudou a liberar foi Temer! Nossa solidariedade ao Governador @FlavioDino”. Que loucura! O dinheiro é da Nação, do povo, senhor deputado.

Resta claro que a intenção do time e do governador comunista é jogar a população nordestina e, em especial, a do Maranhão contra o presidente. Tudo para obrigar Bolsonaro a não ajudar o nosso Maranhão que é um estado carente de apoio e das verbas federais. Tudo para fazer Flávio Dino ganhar projeção nacional e sair candidato à presidência da República.

E o pior que ainda imbecilmente alguns ainda ficam insistindo que chamar um nordestino de paraíba é preconceito. Há muito anos que no Sul do pais somos chamados assim e nunca consideramos como ofensa. Pois que Dino peça aos seus aliados na Câmara Federal uma moção de repúdio ou ingressem na Justiça contra todos os cariocas e paulistas que nos gritam pelo nome de paraíba.

Ficamos aqui imaginando quem nasce no estado da Paraíba, como não devem estar se sentindo agora. Para os que querem tornar a palavra paraíba um demérito, que mude o nome do estado paraibano.

Os artistas Chico Anísio e Renato Aragão era chamados de paraíbas por seus colegas de programas na TV Globo levados ao ar todas as semanas. Alguém se ofendeu algum dia? O juiz de futebol Dacildo Mourão, em 1997, expulsou o jogador vascaíno Edmundo  numa partida no Rio Grande do Norte por uma falta e ouviu do atleta que um paraíba estava apitando o jogo.

Perguntando se iria processar Edmundo por causa da expressão, o juiz falou que não se sentia ofendido. Indagado se foi preconceituoso com o juiz, o jogador disse que “lá no Rio, todo mundo que é do Norte a gente chama de paraíba. Todo mundo que é do Rio sabe disso. Não foi para agredir ninguém, mas é brincadeira. A gente vem jogar no Nordeste e botam um juiz do Nordeste”.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.