Diego Emir

A trama maquiavélica para afastar a prefeita Dídima Coêlho  do comando da Prefeitura de Vitória do Mearim, visando lançar mão dos royalties da Vale, foi arquitetado primeiramente com uma CPI para verificar os gastos na saúde pública do município e depois uma mexida antidemocrática e fora dos princípios constitucionais, pois alteraram a Lei Orgânica do Município firmar a trama.

Ficou evidente que o intento dos vereadores era afastar sumariamente a prefeita.

Vendo que o intento poderia ter um destino contrário, mudaram a trama e passaram a extorquir a por fim a CPI, porém a prefeita não se rendeu.

Com isso, o resultado foi  a prisão dos Vereadores Hélio Silva, Mourão Martins, Bena Pacheco, Oziel Silva, Nego Mauro e Marcelo da Colônia. O Pleno do Tribunal  de Justiça,  por unanimidade dos presentes, suspendeu a aplicação da Emenda à Lei Orgânica do Município. A Justiça do Maranhão põe por terra mais uma tentativa de vereadores que buscam, através  dos  mandatos, formas de enriquecimento criminoso.

Em Vitoria do Mearim a prefeita Dídima Coêlho não permite que isso aconteça.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.