Em reunião sigilosa, homens do Serviço de Inteligência e investigadores da Polícia Federal estiveram reunidos ontem para tratar do reforço ao sistema de segurança pessoal ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

A preocupação aumentou mais ainda depois que o Serviço de Inteligência descobriu um plano terrorista para atentar contra a vida do presidente eleito. Como, quando e onde seria o atentado? É uma pergunta cercada de mistérios.

Porém, o futuro ministro da Defesa, general da reserva Augusto Heleno, confirmou a existência e o aborto do plano, sem revelar detalhes e nomes de quem estaria envolvido.

— A informação de que foi plotado um planejamento de um ato terrorista contra o presidente (Bolsonaro) é verdade. Isso já foi confirmado por autoridades da área de inteligência — disse, conforme publicado hoje no jornal carioca O Extra.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.