Há algo de estranho no ar que não é urubu e nem avião de carreira no cenário político da sucessão estadual do Maranhão. Roseana Sarney fica calada, não demonstra firmeza de que quer ser mesmo candidata, enquanto Sarney Filho vai costurando apoios de aliados do Palácio dos Leões, sob os olhares complacentes do governador Flávio Dino. Teria ocorrido um grande acordo nas caladas da noite para tranquilizar Flávio Dino e garantir a eleição de Sarney Filho?

Nas últimas semanas, a ex-governadora Roseana Sarney adotou um silêncio comprometedor, deixando seus aliados sem nada entender e, o que é pior, receosos de que a candidatura dela não vai existir. Ninguém sabe o que se passa pela cabeça da filha de Sarney, é a verdade.

Enquanto isso, o deputado federal e ex-ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, vai costurando apoios entre os aliados da base do governo. Ele tem comparecido a várias reuniões com o colega parlamentar Weverton Rocha, na capital e no interior. Rocha, como todos sabem, é o primeiro candidato escolhido por Flávio Dino para senador agora em 2018. E Sarney Filho tem bom relacionamento com o governador.

Roseana, na verdade, começou a falar em sair candidata desde 2015 quando foi armada uma operação para prendê-la por corrupção no âmbito estadual. Em 2016 as investigações pelo Ministério Público se intensificaram e a filha de Sarney teve que voltar a morar no Maranhão.

A vontade de ser a candidata ganhou, além do medo da perseguição, mais dois objetivos: não deixar seu grupo político morrer e, principalmente, eleger o irmão Sarney Filho como senador, um dívida de gratidão. O projeto ganhou fôlego, mesmo Roseana sabendo da alta rejeição e das dificuldades para ganhar no segundo turno.

Então, ao que parece, das três razões, teria optado por uma: a eleição do irmão. Como se tudo passasse por um grande acordo de deixar Flávio Dino ganhar, mas com Sarney Filho na carona.

Amigos mais próximos do senador Lobão permanecem em silêncio, mas já começam a desconfiar da estratégia, que tem rumo em se tratando do senador José Sarney, que, ao longo da sua história política, traiu muitos para alcançar seu objetivo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.