A Bíblia Sagrada repudia a troca da fé por moedas. A pregação da Palavra por super-salários. A negociação no templo e fora dele por votos. Percebendo que era preciso investir nas igrejas, através de seus líderes, o governo de Flávio Dino triplicou o número da figura dos capelães, daqueles falsos profetas que vendem a alma por gordos salários para conquistar votos ao projeto de reeleição do governador.

Em nota abaixo divulgada pelos negociadores de salários altos (uns recebem até R$ 21 mil mensais), e são nomeados capitão, major e coronel, em detrimento de quem faz concurso e se esforça para chegar ao oficialato,  pastores e padres, sem a menor vergonha na cara, alegam que estão sendo atacados em suas honras, quando as verdades poderão atingir, sim, seus bolsos e a mordomia de suas famílias. Pela primeira vez padres e pastores se unem… por dinheiro.

Conheço, diversos pastores que pregam o evangelho em presídios, manicômios e nunca receberam ou aceitaram polpudos salários. Sei de caso de pastor que trouxe o filho de outro estado para ser no Maranhão um marajá da Fé. E de outros que sustentam até camaradas.

Leiam abaixo a nota ridícula de pastores e padres que não se dão ao menos a honradez de comprar óleo de Peroba:

Capelães do Sistema de Segurança repudiam ataques

Nós, capelães religiosos do Sistema de Segurança do Estado do Maranhão, diante dos ataques que temos recebido nos últimos dias, vimos a público esclarecer a verdade e repudiar as inverdades contra nossa honra e contra nossas igrejas. Tais ataques têm como objetivo atingir não somente o governador do Estado, mas prejudicar a imagem dos sacerdotes católicos e pastores evangélicos, bem como a importância social da igreja. Tem como objetivo também atingir o serviço de capelania religiosa, que foi criada no Maranhão com a Lei nº 149 de 15.07.1843 e também, mais recentemente reformulada e reconhecida há 25 anos.

Para restabelecer a verdade dos fatos, informamos que no quadro de capelães religiosos neste governo, foram mantidos 13 capelães que têm sua origem ou foram nomeados em governos anteriores, a saber: Edson Lobão, José Reinaldo Tavares, Roseana Sarney e Jackson Lago.

Afirmamos que somos sacerdotes cristãos, padres e pastores e que estamos servindo a corporação da polícia militar, corpo de bombeiros, polícia civil e sistema penitenciário com o único propósito de levar a palavra de Deus, o aconselhamento espiritual, bem como a assistência aos familiares daqueles que são servidores públicos ou apenados pela justiça. Quem conhece o nosso sacerdócio, sabe da importância dele.

Ao atacar padres e pastores, estão atacando nossas igrejas católicas e evangélicas, porque somos sacerdotes honrados e respeitados em nossas igrejas e comunidades.

Nós, padres e pastores capelães religiosos, ao defendermos a nossa honra diante destes ataques, conclamamos católicos e evangélicos a orarem pela paz no Maranhão e que a verdade prevaleça.

Capelães religiosos do Sistema de Segurança do Maranhão.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.