A farra das nomeações de capelães no governo comunista vai acabar trocando a foice e o martelo pelo crucifixo e a Bíblia Sagrada. Além de promover do dia pra noite tenente em coronel, filho de pastor preso por estupro, negociar nomeações com evangélicos e padres para garantir votos, o governador Flávio Dino ajudou o amigo Márcio Jerry a aliviar a carga pesada de pecados: nomeou um evangélico como capelão para a Secretaria de Estado da Comunicação e Articulação Política.

José de Ribamar Cardoso Lima (que não é parente nem de longe do titular do blog), foi nomeado capelão para a Pasta dirigida por Márcio Jerry. Aliás, foi uma maneira de perdoar, sem diminuir,  os pecados ali arquitetados e colocados todos os dias em prática.

As nomeações para capelão, com o objetivo de introduzir a paz e o ensinamento espiritual, foram feitas sem nenhum critério para a Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros. A da secretaria de Jerry foi novidade.

Não demora muito, até para proteger os amigos da luneta da PF, vai ser nomeado um capelão para a Secretaria de Estado da Saúde. Desta vez, a escolha deve recair sobre um mágico. Neste caso, como os poderes são ilusórios, talvez Flávio Dino chame um babalorixá para fechar a cerca velha, antes que cai e derrube outros.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.