Entra governo e sai governo e o DEM sempre estará vestindo a mesma camisa da situação. O partido é oriundo do PFL e PDS. E sempre com Sarney pelo meio mandando e desmandando em tempos recentíssimos. Os democratas no Maranhão estiveram mais representados diretamente pelos governadores Edison Lobão e José Reinaldo, que fazem parte da mesma origem. Bajular governos e lamber botas de quem tem o controle da situação sempre foi o sina do partido. Um serviçal do serviçal do samurai.

Hoje, para não ficar de fora, o DEM se entregou para o governo comunista de Flávio Dino. Não vai levar nenhuma vantagem que lhe dê alguma musculatura política, como a participação na chapa majoritária, por exemplo. Ficará do mesmo tamanho nanico que sempre foi.

A negociação final para que o DEM fosse colocada no sovaco do governador Flávio Dino não teve influência dos bagrinhos do Maranhão. Foi coisa de tubarão. Até Arnaldo Rabelo, ex-dirigente nacional do PCdoB, hoje no PSB, e o deputado Orlando Silva, ainda comunista, entraram na panelada.

O dirigente estadual dos Democratas é um zero à esquerda no plano nacional do partido. Fez e faz acertos buscando apenas fortalecer suas bases e assim garantir a reeleição de deputado federal, além dos penduricalhos pra família na administração comunista.

Eleito presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, é um político que prega renovação nos quadros partidários e na política do Brasil com a mesma cara do avó, o ex-senador e oligarca falecido Antônio Carlos Magalhães, outro exemplo de submissão ao poder. O presidente do DEM é um novo com a cara de velho, nas antigas práticas de família.

Portanto, esse DEM do Maranhão, como de resto em todo país, é apenas um puxadinho de governos, um come sabujo do poder dominante, quer municipal, estadual ou federal.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.