A economista Simone Limeira (foto abaixo) deve assumir por todo este mês uma diretoria na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão. Desde o final de julho de 2015  a abril de 2017, Limeira respondeu a processo por suposto recebimento de propina de um líder indígena e, por isso, perdeu a eleição para a Prefeitura de Grajaú, em 2016. Processo arquivado e nada comprovado, ela pode sim assumir qualquer cargo por não ser ficha suja.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto, não comete nenhuma transgressão e nem um pecado se nomear quem assim o desejar e estiver apto a exercer o cargo. Além do posto ser comissionado, de livre nomeação, e a indicada não tiver condenação judicial, é privativo do presidente colocar seus aliados.

Simone Limeira, que é filiada ao PCdoB, deixou o cargo de assessora especial do governo para que fosse investigada quando explodiram as denúncias.  Livre das acusações,  deve desistir da candidatura de deputada estadual para apoiar o nome do presidente da Assembleia Legislativa e aguardar 2020 para disputar novamente a Prefeitura de Grajaú, considerando o imenso desgaste que atinge a desastrosa gestão do atual prefeito Mercial Arruda, e sobretudo, livre de processos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.