A Operação Pegadores, realizada pela Polícia Federal no Maranhão e que resultou na prisão de diversos agentes públicos da Saúde estadual e na descoberta de desvio de R$ 18 milhões, continua em pleno andamento e deve envolver novas figuras do mesmo setor, inclusive o secretário Carlos Lula. Em entrevista, a ex-subsecretária de Saúde do Maranhão, Rosângela Curado, presa e sete dias depois liberada, disse que “”ainda há mais gente a ser investigada”, numa referência a Lula e outros gestores.

Na primeira entrevista que falou sobre a operação, concedida ao programa Notícia em Foco ITZ, disse que questionou aos delegados a razão de ter ficado sozinha como a responsável pelo desvio dos recursos e lembrou que o secretário Carlos Lula era seu chefe e sabia de tudo o que acontecia. Mas garantiu que o dinheiro todo foi empregado da seguinte forma: R$ 11 milhões para pagamento de médicos e R$ 7 para pagamento dos 425 pessoas contratadas.

Para Curado, “é um inquérito de investigação e ainda tem muita gente para ser investigada, ainda tem muita gente pra ser ouvido, muitas pessoas, pessoas que fazem parte da gestão da Saúde. Não fui só eu, eu já não estava mais lá dentro”,. Confira abaixo a íntegra da entrevista:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.