Em nota enviada ao blog, membros do Conselho Tutelar de Grajaú se defendem de omissão no caso de uma menor de 10 anos estuprada por um dirigente da Assembleia de Deus e que tem ligações com um integrante do referido Conselho. Ocorre que nenhuma providência foi tomada contra o estuprador e nem o Conselho Tutelar tem se manifestado favorável a que o evangélico seja punido.

Confira a nota abaixo:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.