Publicidade

Luís Cardoso – Bastidores da notícia

Bastidores de notícias de política, judiciário, crime e esportes.

Busca em todo o site

Polícia Militar não demonstra ter comando no Maranhão

Política
 

No dia 3, um grupo de policiais militares agiu com mão de ferro e sem o menor preparo em uma casa de jogos que fica no centro da nossa capital. Apesar de toda truculência, nenhum dos militares foi punido, o que deixa o Comando numa situação de conivência.

Policiais promoveram ato de vandalismo do qual ganhou repercussão nacional com quebra de caça-níqueis, e nenhuma providência foi tomada pelo Comando Geral da Polícia Militar. Há informações, inclusive, que os mesmos ganharam até “promoção”: foram transferidos para a Companhia de Guarda do Palácio dos Leões.

Segundo apurou o blog, militares saem de suas atribuições para cometer operações ilegais, sem conhecimento do comando de operações da capital. Enquanto o comando se esforça para mostrar à sociedade que treina seus homens para um serviço sério e de qualidade, oficiais jogam contra a instituição.

Esse tipo de ação policial – acabar com caça-níqueis ou casa de jogos – cabe à Polícia Civil a investigação e aplicação da lei, mas este desequilíbrio entre as instituições tirou a ordem das coisas. Militares agindo de forma barbara com clientes de casas de jogos, que não podem ser punidos por frequentarem tal estabelecimento.

A última atuação aconteceu ontem (03) em uma casa de jogos no Centro de São Luís, com atos de selvageria, vandalismo, agressão moral, abusos de autoridade, lesões corporais a empregados e frequentadores. A ação supostamente seria coordenada pelo Tenente coronel Cristiano e o capitão Alan Dias.

Vídeo obtido pelo Blog mostra (veja abaixo) que esse é o segundo estabelecimento que polícias militares promovem quebra-quebra.

O comandante da Polícia Militar, coronel Pereira, precisa esclarecer o motivo pelo qual militares da guarda do Palácio dos Leões estão agindo fora de suas competências, principalmente, mais uma vez quebrando casa de jogos, o que deveria ser apenas apreendido.

Com a palavra o coronel Pereira…

 

3 comentários em “Polícia Militar não demonstra ter comando no Maranhão”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Davi

    Cara pra vc ta com essa propaganda todinha, contra pmma.Tu so pode e está defendendo essas Casas de jogatina, que são prpibidas por lei.
    Mais por que não fala na. Diminuição do índice criminalidade, não. Fala sobre os coletivos, sofrem menos assaltos,
    Fala, fala dos novos batalhões que foram criados. ?.
    Ja sei esses tipos de comentários não dão ibope.
    !

  2. Cássio

    Esse Tenente Coronel não tem comando sobre sua tropa, ele só vive dizendo lá na sala que manda no coronel Pereira, que tudo que ele fala o coronel Pereira caga de medo dele. Ele não trabalha, pede pra um capitão chamado alllan dias( um sujo) passar o relatório pra ele. Ele vai pela manhã pra faculdade é a tarde vai pra minha academia, a CPGD não merece ele lá. FLAVIO DINO ABRE TEU OLHO QUEM TU COLOCA NO PALACIO PRA TRABALHAR E CEL PEREIRA TOMA CUIDADO COM ESSE SUJO, FALA MUITO MAL DE TI PELAS COSTAS

  3. ROSE

    Domingo a tarde policiais militares jogaram spray de pimenta no rosto dos meus filhos,na porta,na calçada da minha casa,eles acham que podem tudo ,eles ja vao mal intencionados que ate o nome da camisa deles eles tiram pra nao serem denunciados,chegaram na minha porta ,varias pessoas estavam nas calçadas de suas casas,mesmo pq era domingo,e foram com maior saliencia pra cima das pessoas,quiz denunciar mais nao fui pq sei que nao da em nada….esses mesmos policiais a 2 semanas invadiram a casa de uma moça no mesmo bairro e apontaram a arma na cara dela,dentro da casa dela..

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários






  • Enquetes
    Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.
  • Conheça a Creche Escola Luluzinha
  • AS MAIS VISTA DA SEMANA

  • Contatos

    E-mail: [email protected]
    Telefone: 98 3236-1351
    Celular: 98 98722-6094

    Arquivos

    Posts ordenados por data de publicação.