Do Atual 7

flavio-dino-governador-maranhao-940x540Gasto milionário foi revelado pelo Atual7 no início do mês. Governador recuou após a população pressioná-lo

Envergonhado com a população do estado, principalmente a que lhe deu voto de confiança, o governador Flávio Dino (PCdoB) recuou e suspendeu, nesta semana, o pregão presencial marcado para ocorrer no último dia 17, para o aluguel de duas aeronaves para uso pessoal do comunista, do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), e outros “representantes máximos do Poder Executivo”.

O gasto milionário de dinheiro público foi derrubado após o Atual7 revelar que o valor chegaria, em um ano, a R$ 13,9 milhões, dinheiro que daria para manter o total 11 hospitais de 100 leitos, pelo período de 12 meses, e ainda sobraria dinheiro em caixa.

A confirmação da suspensão do aluguel das aeronaves foi feita pelo pregoeiro oficial do Estado, Paulo Guilherme, em aviso já afixado no mural da sede da CCL, “por motivo de ordem administrativa”.

Durante a campanha eleitoral, quando o governador do Maranhão ainda não havia mudado, ele declarou em seu perfil pessoal no Facebook que um chefe de Estado alugar aeronaves para se locomover pelas cidades e pelo restante do país seria preferir “o uso eleitoreiro, imoral e ilegal” da verba que poderia ser usado para o benefício da população.

“Com os vários helicópteros e aviões alugados pelo governo do Maranhão, daria para propiciar um transporte eficiente e digno para pacientes graves que atualmente sofrem em ambulâncias na estradas maranhenses. E melhorar a segurança pública em todas as regiões do Estado. Mas a oligarquia prefere o uso eleitoreiro, imoral e ilegal”, dizia.

Bastou apenas cinco meses e poucos dias no comando do Palácio dos Leões, porém, para que Flávio Dino tirasse a máscara.

Bacalhau do porto e iogurtes com pedaços de ameixa

Esta é a segunda licitação que Dino suspende após o Atual7 revelar o dispêndio.  No início do ano, o governador recuou da compra de alimentos de luxo para abastecer as residências oficiais do Estado – o Palácio dos Leões, a casa de veraneio e a residência do vice-governador – pelo período de um ano.

Entre os itens dos oito lotes de R$ 745  mil, estão 180 quilos de salmão e igual quantidade de bacalhau do porto de primeira qualidade, avaliados em R$ 13.849,50, e 550 quilos de patinha de caranguejo fresca, por R$ 37.493,50. Há ainda meia tonelada de pescada amarela fresca, com valor total estimado em R$ 29.835,00, além de sorvetes, picolés, e iogurtes light com pedaços de ameixa, ao custo de mais de R$ 50 mil.

Apesar do lançamento do edital e da abertura do pregão ter sido realizados no governo da peemedebista Roseana Sarney, Dino manteve-se em silêncio sobre a compra durante os seis primeiros dias de seu governo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.