Há indícios relevantes de superfaturamento em contrato realizado entre a Prefeitura de São Luís e a Indústria de Móveis Cequipel Paraná LTDA, para fornecimento de mobiliário escolar.

O Blog do Luís Cardoso apurou que pelo menos um dos itens que constam no contrato nº39/2011, da Secretaria Municipal de Educação, possui preço de mercado médio bem abaixo daquele pago pelo atual prefeito de São Luís, João Castelo, à empresa contratada.

O objeto que fez parte da pesquisa deste blogueiro foi o conjunto escolar para os alunos de 5ª a 8ª séries do Ensino Fundamental composto por mesa e cadeira, com especificações iguais às que foram adquiridas pela Prefeitura de São Luís.

Conforme o contrato, o prefeito João Castelo pagou por cada conjunto unitário o valor de R$ 406,00. Como foram adquiridos 10 mil itens, a compra total foi de R$ 4.060.000,00.

No entanto, em 3 empresas locais o preço do mesmo conjunto escolar comprado pela Prefeitura de São Luís variou de R$ 185,00 a R$ 250,00, com desconto concedido por cada empresa consultada.

O preço de R$250,00 foi fornecido a este blogueiro pela “Comercial São Lucas”, localizada no João Paulo. Já o valor mais baixo foi cedido pela “Dinamarca Móveis”, com sede no Apeadouro. O Blog do Luís Cardoso ainda buscou uma terceira empresa, a “Universal Móveis”, que informou comercializar o conjunto escolar pelo valor de R$ 275,00 a unidade.

Assim, se a avaliação da compra tivesse como parâmetro o menor preço, o total gasto pela Prefeitura de São Luís na aquisição do conjunto escolar seria de R$ 1.850.000,00. Esse valor estabeleceria uma diferença de R$ 2.210.000,00 em relação ao preço contratado pelo prefeito João Castelo.

E mesmo que o parâmetro utilizado fosse a média de preço das 3 empresas (R$ 236,66), o valor da compra seria de R$ 2.236.600,00. Ou seja, uma diferença de R$ 1.723.400,00 em relação ao preço contratado pelo atual gestor municipal.

Tendo por base os valores adquiridos pelo Blog do Luís Cardoso, fica a pergunta: Por que a Prefeitura de São Luís pagou mais que o dobro pela compra?.

Abaixo, o documento do contrato:

Clique aqui e veja o restante do escandaloso contrato.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.