Ex-secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa.Ex-secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa.

O ex-secretário de Educação da gestão do prefeito Tadeu Palácio – e do 1º ano da administração de João Castelo, Moacir Feitosa, disse, ontem (16), que na capital não existe escola alguma de tempo integral na rede pública municipal de ensino.

Ele se revelou surpreso com as afirmações de Castelo de que, em São Luís, o município banca 79 unidades de ensino integral.

Feitosa explicou que tempo integral é aquele em que o aluno entra pela manhã e só sai no período da tarde.

As escolas a que João Castelo se refere operam em dois turnos: um pela manhã, e outro no período da tarde, mas com alunos diferentes.

O setor de educação tem sido o ponto fraco da administração do tucano. Só para que se tenha uma ideia, além da greve dos professores, a maioria dos alunos ficou, mais da metade do ano, sem comparecer às salas de aula, porque a prefeitura alegava falta de recursos para reformar as escolas.

No entanto, Castelo tinha em cofre R$ 12 milhões, enviados pelo Ministério da Educação. Há, ainda, indícios relevantes de superfaturamento em contrato realizado entre a Prefeitura de São Luís e a Indústria de Móveis Cequipel Paraná LTDA, para fornecimento de mobiliário escolar, denunciado pelo Blog do Luís Cardoso.

Além disso, o Ministério Público Federal do Maranhão suspeita de desvios da ordem de R$ 7 milhões na Secretaria de Educação da Prefeitura de São Luós. O recursos são referentes ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.