Ex-prefeito de Imperatriz, Ildon Marques de Souza

O ex-prefeito de Imperatriz, Ildon Marques de Souza, dono das Lojas Liliane, escapou de ser preso pela primeira CPI que apurou denúncias de pedofilia no Maranhão.

Presidida pela deputada Helena Heluy, a CPI foi a Imperatriz de posse de todas as informações sobre uma menor de 15 anos que teria sido abusada sexualmente pelo ex-prefeito Ildon Marques.

Os pais da menor haviam denunciado à Pastoral da Criança, em Imperatriz, o caso de pedofilia. E confirmaram que iriam depor à CPI, com a menor encapuzada.

Marques obteve informações privilegiadas e teria comprado o silêncio de toda a família. No dia da tomada de depoimentos, pais e filha sumiram da cidade, inclusive o ex-prefeito. Durante a sessão da CPI, um acusado, peixe miúdo, chegou a ser preso.

Imperatriz foi palco, por um período, de leilão de virgens. Com a presença de autoridades, prefeitos, vereadores, e deputados.

Uma boite, pertencente ao ex-deputado estadual Freitas Filho, hoje falecido, segundo membros da antiga CPI da Pedofilia, era o palco dos Leilões.

Estou de posse de depoimentos de uma menor, à época com 11 anos, que fora molestada pelo padastro em São Luís, um aliado de Roseana Sarney que exerce cargo importante no PMDB da governadora.

O caso foi acobertado durante seis anos. O acusado foi protegido por testemunhas de vice-governador, senador, e pessoas que exercem hoje cargos importantes na administração de Roseana Sarney. Todos do PMDB. Aguardem segunda-feira.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.