A sessão de hoje da Assembléia Legislativa esquentou o plenário. Os deputados Penaldon Moreira e César Pires trocaram acusações mútuas. Revelações deixaram assustados deputados, jornalistas e funcionários.

Penaldo ocupou a tribuna para exigir que fosse revelado o valor da soma aplicado na construção do novo prédio da AL. “Esconder os números é um desrespeito aos demais deputados, bem como à sociedade”, avisou.

Foi o suficiente para que César Pires, que foi coordenador da comissão para aquisição de mobília, ocupar a tribuna para criticar o colega Penaldon.

Pires reagiu ao modo como Penaldon cobrou, principalmente na ausência do ex-presidente João Evangelista. “Não vejo aqui ninguém cobrando aposentadorias carcomidas e as investigações feitas pela Polícia Federal”, disse Pires, dando a entender que o foco agora é o valor da construção, enquanto outra mazelas permanecem debaixo do tapete.   

Penaldo Moreira estranhou que no projeto original as cadeiras do plenário eram maiores, mais confortáveis e, portanto, mais caras. “Elas diminuiram”, denunciou, para em seguida dizer que vai para a sua casa dormir, mas de consciência tranquila. O silêncio e a dúvida reinaram no plenário por alguns segundos.

O deputado Carlos Alberto Milhomem, que foi presidente à epoca em que a construção se iniciara, ao valor total de R$ 17 milhões, também reagiu. Hoje, comentam que chega próximo de R$ 100 milhões. Milhomem, então, pediu que se possível fosse instalada uma CPI para apurar os valores gastos.

O deputado Marcos Caldas foi mais além. Primeiro disse que nas ruas o assunto virou chacota. Em seguida, acusou: “o deputado João Evangelista fez tudo escondido”.

Para finalizar, Penaldon Moreira reafirmou a cobrança. “Por que esconder os números? Os deputados precisam saber, a sociedade quer uma resposta”.

O futuro líder da maioria, deputado Carlos B raide, tentou jogar um balde de água fria na fervura. “Como somos pequenos. O mais importante é a grandeza do prédio, que é um dos mais modernos do país”.

Ao final da sessão, não sem antes fazer pequenas intervenções para explicar a posição da presidência da AL, Marcelo Tavares informou aos jornalistas que determinou levantamento para divulgar as cifras aplicadas no Palácio do Rangedor.

O assunto tomou a maior parte da sessão plenária. Os números, porém, ainda permanecem desconhecidos.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.