A inauguração do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), prevista para depois de amanhã, acontece em boa hora, mas há de se convir, já vem tarde. Sua função deve ser a de primordialmente suprir as deficiências do maior Hospital do Estado, o Getúlio Vargas, na questão das urgências. A situação do HGV há muitos anos é deplorável no tratamento de urgência. Causa pena ver doentes amontoados pelos corredores em macas sucateadas quando não, alojados fora das dependências do Hospital. É impressionante como se materializou historicamente no Piauí, aquela máxima de que “em casa de ferreiro o espeto é de pau”, pois nos últimos 35 anos diversos médicos foram Governadores do Estado e jamais resolveram definitivamente o problema do HGV. Essa radical mudança se dá em função da vontade política de fazer de um governador (Wellington Dias) que não é médico e do secretário (Assis Carvalho) que também passou ao largo de qualquer faculdade de ciências da saúde. Mas que tiveram a visão e a sensibilidade de juntar seus esforços aos do prefeito de Teresina, Silvio Mendes para que colocasse em funcionamento o hospital municipal. O HUT terá instalações mais adequadas que o HGV, pois foi aparelhado com equipamentos de última geração e com condições de tratar decentemente os pacientes que para lá serão encaminhados em casos de urgência. Quando médico se arvora de ser ‘especialista em estradas’, dá para entender o desleixo deles à frente do governo em relação ao setor saúde.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.