A imprensa do Sul do país se contorce toda, se mexe e remexe todas as vezes que um nordestino alça vôo mais alto na política, quando um “cabeça chata”, ou “paraíba” ocupa lugar de destaque no cenário nacional.

Foi assim quando José Sarney assumiu a Presidência da República.

Não foi diferente quando Collor colocou a faixa presidencial no peito. Tem sido igual desde que um operário pernambucano passou a ser presidente da República.

Discriminação II

Quando a ministra Dilma Roussef assumiu a Casa Civil e indicou como seu substituto de Minas e Energia o maranhense Silas Rondeau, a imprensa sulista “caiu de pau”.

No início chegaram a duvidar da capacidade técnica do maranhense só porque ele teria tido o aval do também maranhense José Sarney. Tempos depois a própria Dilma Roussef não abria mão de Rondeau e elogiava em todo país o seu trabalho.

Discriminação III

Agora, após ser confirmado como novo futuro ministro de Minas e Energia, a mesma grande imprensa passou a atacar o senador Edison Lobão.

Alegam que Lobão não é técnico, não entende do traçado e chegam até duvidar da energia do senador para comandar o ministério.

Discriminação IV

A imprensa do Sul, em dois governos, atribuiu melhor desempenho para dois grandes ministros: José Serra, da Saúde (governo FHC) e Antônio Palocci, da Fazenda (governo Lula). Ambos, paulistas.

Serra é economista e Palocci é médico. Nem precisa dizer que embora não fossem da área de seus ministérios mostraram resultados positivos.

Discriminação V

Por último, a imprensa do Sul já antecipou que haverá apagão e já antecipou o culpado: o senador Edison Lobão, que sequer sentou na cadeira de ministro.

Discriminação VI

Que a grande imprensa discrimine o Nordeste e os nordestinos não é nenhuma novidade. Porém, parte da imprensa maranhense fazer o mesmo jogo por obediência, subserviência ou mostrar trabalho para agradar a interesses políticos, aí a coisa é diferente.

Nos últimos dias parte da imprensa maranhense passou a colaborar com a imprensa sulista, não ingenuamente, investigando qualquer coisa que possa impedir que o senador Lobão seja nomeado ministro de Minas e Energia. A mesma parte da imprensa que apontava Lobão como o melhor governador do Maranhão nos últimos anos.

Discriminação VII

Até parece que, na ótica da parte da imprensa do Maranhão, Edison Lobão é inimigo do país e notadamente do Maranhão. Grande equivoco, enorme falta de visão e, sobretudo, não querer que o Estado cresça.

Com Silas Rondeau, que é apenas técnico, o Maranhão conseguiu ter luz elétrica em quase 80% do seu território. Com Lobão, que é político, com certeza todos os lares do Maranhão estarão iluminados, os povoados mais longínquos terão luz, exceto na cabeça dos que acham que Lobão pode representar ameaça aos seus ganhos atuais.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.