De acordo com a polícia que investiga o caso, o mecânico Wanderson Ferreira de Almeida, esposo de Daiane, descobriu o relacionamento da mulher com o empresário. Então, eles armaram um plano para sequestrá-lo e foi exatamente o que aconteceu em junho deste ano. Com a ajuda do compadre do mecânico, Eriovaldo Silva, levaram o empresário de Balsas para uma chácara em Riachão.

O trio pediu R$ 1 milhão para liberar Chico Paraná do cativeiro. Ele então, começou a solicitar dinheiro para os familiares alegando que precisa fazer um tratamento de saúde bastante caro. Foi quando os familiares desconfiaram do sumiço do parente e acionaram a polícia.

Enquanto esteve no cativeiro, o empresário foi obrigado a entregar o cartão bancário para o trio, que usou para compra de bebidas e outros produtos. Eles tomaram conhecimento de que a polícia havia entrado no caso, com a ajuda de uma equipe chefiada pelo delegado Guilherme Filho.

A mulher teve a ideia de matar o amante e enterrar o corpo. Enquanto isso, a polícia chegou até a Eriovaldo que havia vendido o carro do empresário. Ele confessou o crime de forma colaborativa e contou que Daiane foi quem atirou e matou o empresário e que ele assistiu tudo e ajudou a enterrar o corpo.

Depois de prender a mulher, a polícia foi até ao local onde estava enterrado o corpo e com a ajuda de uma retroescavadeira tirou o empresário de dentro de uma cova em uma área de matagal.

A mulher permanece presa, mas o mecânico continua foragido.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.