Conforme as primeiras investigações, o desmamento foi de 260.000 metros cúbicos de madeira, o que daria para lotar as carrocerias de 8 mil caminhões, com as fraudes em documentações envolvendo os estados de Roraima, Maranhão, Amapá, Amazonas, Pará e Mato Grosso.

Denominada  Florestas de Papel, a operação no Maranhão resultou numa busca e apreensão na cidade de Imperatriz, mas não foi informado se ocorreu em alguma madeireira ou residência. A ação da PF reuniu mais de 150 policiais federais e se concentrou em sua maior parte no estado de Roraima.

O maior envolvimento foi de um empresário dono de oito empresas que foi preso hoje de manhã passando férias em Fortaleza. Era usados empresas de fachadas eque conseguiam as licenças exigidas para o transporte da madeiras e subprodutos florestais de origem nativa, como a madeira serrada e toras.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.