Famem esquecida

Desde a Operação Rapina, que resultou na prisão do prefeito Tema Cunha, nunca mais a Famem foi a mesma.

A entidade não reúne mais os prefeitos e ficou, ao que parece, sem autoridade o moral para cobrar qualquer coisa.

Para a maioria dos prefeitos, o presidente Tema Cunha deveria se tocar a pedir o afastamento da direção para o bem da entidade e do municipalismo.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Surpresos

A rua 23 de novembro, situada na Camboa, nunca viu tanto movimento de carrões importados como aconteceu na noite de terça-feira e em boa parte da manhã de ontem.

A Polícia Federal estragou a festa. Na noite de terça-feira e em parte da manhã de ontem os carrões transportavam prefeitos e presidentes de Câmara Municipais que foram fabricar documentos em um escritório de contabilidade.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Superfaturamento

Não é só as prefeituras do interior do Maranhão que são denunciadas por superfaturamento de obras. Existem casos aqui mesmo em São Luís em que a obra sai pelo triplo do preço.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

PSDB e PT

Assim como em Belo Horizonte, os tucanos de São Luís articulam para atrair o PT numa dobradinha para a sucessão do prefeito Tadeu Palácio. Sonham com a chapa Castelo/Bira do Pindaré, que imaginam ser imbatível.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Operação Rapina II

Desde ontem à noite um grupo de policiais federais, comandados pelo delegado Pedro Meireles, o mesmo que comandou a Operação Rapina no Maranhão, vigiava um escritório de contabilidade situado à rua 23 de novembro, na Camboa.

Durante o período, prefeitos e presidente de Câmaras Municipais entravam e saiam. Os PFs não podiam fazer nada porque a lei não permite a invasão de domicílio no período da noite.

O corre-corre dos políticos ao escritório, pertencente a contadora de nome Fátima, acontecia porque hoje é o último dia para que prefeitos e presidentes de Câmaras prestem contas ao TCE.

Pela manhã, por volta das 10h, os policiais entraram no escritório e teriam apreendido 20 computadores e seis pen drive e prenderam no local quatro contadores e mais dois prefeitos.

Até o momento, 14h15, ainda não se sabia os nomes dos prefeitos

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deu no AZNeta de ex-deputado é condenada

A neta do ex-deputado estadual do Piauí Elias Ximenes do Prado, Aline Nunes Prado e o marido Victor Garcia Verano, foram condenados a sete anos e seis meses de prisão, em São Paulo, acusados de envolvimento com o traficante colombiano Juan Carlos Ramierz Abadia, que faziam a lavagem de dinheiro do narcotráfico internacional de drogas, comprando imóveis no Brasil.Além de Aline e do marido, foi condenado ainda Jaime Hernando Martinez Verano, à pena de 07 (sete) anos e 06 (seis) meses de reclusão, mais o pagamento de 113 (cento e treze) dias-multa (R$ 644.100,00 aos dois primeiros e R$ 42.940,00 ao último) pelo cometimento do delito previsto no artigo 288 do Código Penal e no artigo 1º, caput e incisos I e VII, c.c. o § 4° do mesmo artigo, da Lei n.º 9.613, de 03.03.1998, em concurso material.

Aline Nunes Prado é filha de Francimar Nunes Prado , e de Luiz Augusto (filho do ex-deputado Elias Ximenes do Prado). O casal é separado. Na eleição do ano de 2004, Luiz Augusto foi candidato a prefeito de Teresina pelo PDT.

A piauiense Aline Prado, segundo informações da Polícia Federal, negociava imóveis em cinco Estados para lavar o dinheiro do tráfico de drogas. A quadrilha mandava entorpecentes dentro de caixas de frutas do Nordeste brasileiro para a Europa.

Aline teria se envolvido com o bando quando se aproximou de Gustavo Duran Bautista, de 49 anos, preso no Uruguai por ligação com seu conterrâneo Juan Carlos Ramíerez Adadia. A piauiense teria cedido o nome para os traficantes colocar imóveis e lavar o dinheiro “sujo”.

Bautista usava “laranjas” para colocar seu patrimônio de R$ 3,4 bilhões. É suspeito de 315 homicídios. A piauiense eram usada para manter a mansão, onde tinham 122 mil euros escondidos. A mansão é avaliada em R$ 3 milhões, desde 20 de abril de 2006.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Adirson Veloso pode ser preso I

O promotor público, Fernando Barreto, está analisando a possibilidade de instaurar inquérito para responsabilizar o secretário estadual de Cultura, Adirson Veloso, por improbidade administrativa por questão de discriminação racial contra o artista popular Gerô, morto em março do ano passado após sessão de torturas praticadas por policiais militares.

Adirson Veloso pode ser preso II

Na época em que esteve na Secretaria de Cultura do Município, na Fonte do Ribeirão, Gerô foi cobrar um cachê não pago pelo secretário Adirson Veloso.
Após se exaltar porque não tinha resposta para sua cobrança, Gerô foi agredido verbalmente por Veloso que lhe chamou aos gritos de “macaco” e “preto nojento”. Além disso, o artista foi posto pra rua carregado pelas mãos e pés por segurança de Veloso, como quem carrega um porco para revenda na feira. Situação das mais humilhantes.

Adirson Veloso pode ser preso III

Na época, o compositor registrou boletim de ocorrência policial. O fato foi publicado apenas no Blogue do Colunão, do jornalista Walter Rodrigues, porque a maioria dos veículos de comunicação tem contratos publicitários com a Prefeitura de São Luís.
O promotor público Márcio Tadeu sugeriu que aos deputados, durante audiência pública para discutir torturas praticada por policiais, que apresentem indicação para que casos de discriminação como os praticados por Adirson Veloso possam ser denunciados judicialmente.

Adirson Veloso pode ser preso IV

No entendimento do promotor, crime racial pode levar o autor do delito para a cadeia. Ele acredita que se o secretário de Cultura for denunciado, embasado pelo registro de queixa feita pela vítima Gerô, a sua prisão é certa.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Rejeitado I

Não é tão tranqüila como se imagina a situação do ex-governador José Reinaldo Tavares. Descartado pelo governador Jackson Lago para sair candidato a prefeito de São Luís, Tavares vem tendo outro projeto recusado: fazer o sobrinho Marcelo Tavares presidente da Assembléia Legislativa.

Rejeitado II

Marcelo Tavares ganhou o apoio de Evangelista, mas a obrigatória operação para retirada de um tumor do cérebro melou os sonhos do sobrinho do ex-governador. Sem a prefeitura e sem o comando da Assembléia, José Reinaldo faz novo apelo.

Rejeitado III

O ex-governador, segundo informa o Blogue do Colunão, do jornalista Walter Rodrigues, pode ser nomeado diretor-presidente da Emap, em substituição a João Castelo que será candidato a prefeito de São Luís.

Ocorre, porém, que Castelo teria acertado com o governador Jackson Lago a indicação do primo João Rodolfo Gonçalves, atual diretor de operações do Porto do Itaqui.

Assim sendo, restará ao ex-governador a solidão, o caminho dos esquecidos, o isolamento político.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Greve

Professores da rede estadual de ensino se preparam para nova greve. O movimento paredista está previsto para ser iniciado no período de férias, o que daria 30 dias para o governador atender os pleitos do magistério ou entrar em mais um desgaste após o período de recesso escolar.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Familiares de supostas vítimas do Serviço Velado recorrem à Defensoria Pública

Cerca de dez pessoas familiares de supostas vítimas do Serviço Velado, criado e mantido pela Polícia Militar do Maranhão, recorreram esta semana aos serviços de assistência jurídica prestados pela Defensoria Pública.

Encaminhadas pela Comissão de Direitos Humanos da OAB/MA, as famílias foram recebidas pelo coordenador do Núcleo de Primeiro Atendimento da Instituição, defensor público Ricardo Luís Teixeira, a quem pediram que o órgão ingressasse com uma Ação de Reparação de Danos, contra o Governo do Estado, em face das denúncias de tortura e abusos de autoridade praticadas pelo grupo velado da PM.

Desse primeiro contato, os familiares tiveram a informação do defensor Ricardo Teixeira que seria realizado um atendimento individualizado pela Defensoria Pública, em razão das peculiaridades de cada caso.

A previsão é de que as ações sejam encaminhadas à Justiça ainda no mês de Abril, onde uma outra equipe de defensores procederá o acompanhamento junto as Vara da Fazenda Pública, objetivando a condenação do Estado pelos desvio funcional de seus agentes.

Na observação do defensor público, a norma que criou e mantém em operação o Serviço Vela da Polícia Militar violou a Constituição Federal. Pela Carta Constitucional, a PM não tem atribuição investigativa. Essa atribuição é das Polícias Civil e Federal. O desvio de atribuição gerado pela norma que criou o Serviço Velado acabou se transformando em instrumento de violação à dignidade da pessoa humana.

Ordem Pública – Também esta semana, o procurador-geral de Justiça, Francisco das Chagas Barros, determinou a instauração de protocolo geral, pelo Centro de Apoio Operacional de Direitos Humanos e Cidadania, do Ministério Público, para apurar as bases legais do funcionamento do Serviço Velado e sua adequação ao papel previsto na Constituição Federal, no que se refere ao policiamento ostensivo e à preservação da ordem pública.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Franco quer criar Loteria Estadual

deputado Alberto Franco

Com o objetivo de incentivar financeiramente as entidades desportivas maranhenses, propiciando, desta forma, mecanismos para que estas possam realizar planejamento adequado visando promover o esporte junto às gerações futuras, o deputado Alberto Franco (PSDB) apresentou indicação, através da qual, solicita que o governo estadual elabore projeto de lei, para posterior apreciação por parte da Assembléia Legislativa, criando a Loteria Estadual – Concurso de Prognóstico Específico Sobre Resultado de Sorteio de Números.

Franco sugere em sua indicação, que foi publicada no Diário Oficial da AL acompanhada de anteprojeto de lei instituindo a criação do concurso, que o governo destine parte dos recursos arrecadados através da Loteria Estadual para entidades promotoras de atividades esportistas amadoras.

De acordo com o anteprojeto, a loteria estadual terá extração semanal obrigatória com data prefixada por meio de escolha de números, compreendendo um número mínimo de 30 mil bilhetes.

A destinação total dos recursos arrecadados em cada sorteio dar-se-á nos seguintes termos: 20% para o custeio e manutenção do serviço; 40% para o valor do prêmio; 20% para a remuneração das entidades de prática desportiva da modalidade de futebol profissional e 20% para remuneração das entidades de prática desportiva das modalidades amadoras.

Ainda de acordo com o anteprojeto, a loteria estadual poderá explorar outras formas de concursos lotéricos ou sorteios, dentro das formalidades legais, mediante prévia autorização do governo do Estado.

O lucro líquido apurado, anualmente pela loteria estadual, será aplicado em obras sociais de interesse do Estado, bem como para promover espetáculos e shows de artistas maranhenses em todo o Maranhão.

“O esporte amador tem servido de berço de muitas gerações de atletas que fizeram história no Brasil e no exterior, sem contar os poucos que atualmente desfilam pelos campos e pelas quadras do esporte do Brasil e do mundo. É preciso, no entanto, incentivo financeiro para que os responsáveis pelo esporte no Maranhão, de forma madura e bastante profissional, possam fazer um planejamento eficaz e, desta forma, colocar o Maranhão no local de destaque na formação de atletas amadores de hoje, que serão os atletas profissionais de amanhã”, afirmou Alberto Franco.

TV Senado e TV Câmara

Por outro lado, o deputado Alberto Franco (PSDB) protocolou indicação na Mesa Diretora da Assembléia Legislativa solicitando o encaminhamento de ofícios aos senadores e deputados federais maranhenses pedindo que eles tornem possível a transmissão da TV Senado e da TV Câmara, em sinal aberto para todo o Maranhão, como acontece em Brasília (DF), Fortaleza (CE), Recife (PE), Manaus (AM) e Salvador (BA).

Na indicação, extensiva ao presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves Filho, (PMDB-RN), e ao presidente da Câmara, deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP), Alberto Franco esclarece que até o momento os referidos canais de TV são transmitidos apenas por rede fechada.

“Torna-se necessária a transmissão em sinal aberto da TV Senado e da TV Câmara em todo o Maranhão. A população de menor poder aquisitivo tem que tomar conhecimento das ações dos senhores senadores e deputados federais no Senado e na Câmara Federal”, disse Alberto Franco.

Segundo o parlamentar tucano, tramita no Congresso Nacional um projeto para tornar possível a transmissão aberta da TV Câmara e da TV Senado para todo o País. O projeto conta, inclusive, com o apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal e da Federação Nacional dos Jornalistas. O deputado Alberto Franco (PSDB) protocolou indicação na Mesa Diretora da Assembléia Legislativa solicitando o encaminhamento de ofícios aos senadores e deputados federais maranhenses pedindo que eles tornem possível a transmissão da TV Senado e da TV Câmara, em sinal aberto para todo o Maranhão, como acontece em Brasília (DF), Fortaleza (CE), Recife (PE), Manaus (AM) e Salvador (BA).

Na indicação, extensiva ao presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves Filho, (PMDB-RN), e ao presidente da Câmara, deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP), Alberto Franco esclarece que até o momento os referidos canais de TV são transmitidos apenas por rede fechada.

“Torna-se necessária a transmissão em sinal aberto da TV Senado e da TV Câmara em todo o Maranhão. A população de menor poder aquisitivo tem que tomar conhecimento das ações dos senhores senadores e deputados federais no Senado e na Câmara Federal”, disse Alberto Franco.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Estranho I

A nova postura civilizada do governador Jackson Lago tem desagradado alguns setores governistas, notadamente alguns veículos de comunicação aliados do Palácio dos Leões.

Ora, em pleno século 21, não é mais possível administrar sem coalizões, sem a presença de alianças políticas. Por isso, o governo de Lula tem dado certo. No Maranhão não pode ser diferente.

Estranho II

Em caso do grupo Sarney se oferecer para ajudar o Governo de Jackson Lago, admissível se faz que a parceria possa vingar.

Não há mais tempos para rancores. A eleição acabou há mais de um ano. É hora, sim, de juntar oposição e governo para trabalhar em favor do Maranhão. O resto é conversa de palanque.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.