A exoneração do comandante do Grupo de Operações Especiais (GOE) em Imperatriz, subtenente João Paulo, após ter posado para foto com Jair Bolsonaro (sem partido), durante a visita do presidente à cidade maranhense na semana passada, foi motivo de revolta aos policiais.

Foto Reprodução

Embora o governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, tenha afirmado em seu perfil em rede social que não deu ordem para afastamento do policial o caso está sendo tratado como perseguição contra o PM que estava no comando do GOE há mais de 20 anos.

A Associação Regional de Cabos e Soldados de Imperatriz e Açailândia emitiu nota de repúdio. Confira abaixo.

NOTA DE REPÚDIO

A ASSOCIAÇÃO REGIONAL DE CABOS E SOLDADOS DE IMPERATRIZ E AÇAILÂNDIA – MA, com CNPJ 00.840.964/0001-48, entidade representada pelo seu presidente ESMERALDO BATISTA DE SOUSA JÚNIOR, vêm de público manifestar REPÚDIO e ao mesmo tempo prestar total APOIO ao Sub Tenente da Polícia Militar do Maranhão, João Paulo Teixeira Torres, Ex-Comandante do Grupo de Operações Especiais – GOE, que no dia 21/05/2021, pousou em uma foto junto ao Presidente da República Jair Bolsonaro, durante o embarque no aeroporto na cidade de Imperatriz.

João Paulo e sua equipe estavam escalados de serviço no dia do fato, e tinha a missão de dar apoio à equipe de segurança presidencial, em dado momento foram solicitados pela segurança para se aproximarem do cordão de isolamento durante o embarque do presidente, onde Bolsonaro veio até as equipes de segurança e apoio, e pediu para tirar uma foto, tendo a equipe do GOE se prontificando para não serem deselegante e mal educado, todavia o fuzil que aparece na foto é da Policia do Exercito – PE.

O Sub tenente foi removido do cargo de comandante do GOE de Imperatriz pelo Comando do CPAI-3, onde se dedicou 21 anos de sua carreira policial, e estava no grupamento desde o início de sua criação.
Além de comandante, João Paulo, tem 31 anos de carreira na PMMA, era instrutor de várias matérias durante o curso de formação de novos integrantes da PM.

A Presidência da ARCSPMIA tomou conhecimento oficialmente pelo Sub. Ten. João Paulo que já ouve uma despedida do grupo, de maneira emocionada agradeceu a todos pelos longos anos de bom combate a criminalidade em toda região de atuação do Grupo de Operações Especiais.

A entidade que subscreve esse documento vem repudiar o ATO ADMINISTRATIVO VELADO, praticado pelo Comanda do CPAI-3, por entender que no Estatuto da Policia Militar do Maranhão e no Regulamento Disciplinar do Exercito – RDE, não constar punição para os militares por fotografar com autoridades políticas, em especial ao Presidente da República.

Imperatriz – MA, 27 de maio de 2021.

Esmeraldo Batista de Sousa Júnior

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.