Em nota de esclarecimento grupo diz que foi nu artístico no Reviver

    Nota de esclarecimento

    Foi aberto ontem (29) em São Luís a 10ª. edição do Conexão Dança Festival Contemporâneo. O longevo festival tem reconhecida importância no cenário cultural da capital maranhense, tendo aberto importantes espaços de apresentação e fruição de espetáculos, além de debates sobre a arte contemporânea, reconhecido por público e patrocinadores.

    A sede da Companhia Cazumbá, na Praia Grande, foi palco do espetáculo “Batucada”, de Marcelo Evelin + Demolition Incorporada (PI).

    “Batucada” estreou em maio de 2014 e já percorreu cidades como Bruxelas (Bélgica), Frankfurt (Alemanha), Rio de Janeiro e, recentemente, abriu o Festival Internacional de Teatro (FIT), em Belo Horizonte/MG, com ótima receptividade de público. De São Luís, onde também o público aprovou o espetáculo, seguem para Caruaru/PE e Santiago (Chile).

    Há, no espetáculo, cenas de nudez artística, com os performers de bruços, imóveis, na calçada do local da apresentação, na Praia Grande, bairro do Centro Histórico ludovicense que abriga o festival, em diversos espaços, públicos e privados. Não há beijos ou qualquer conotação erótica/sexual.

    Coincidentemente, também ontem, milhares de mulheres (e homens) foram às ruas em todas as capitais do Brasil e em diversas cidades do mundo, no movimento chamado #elenão, contra a candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Desde então, apoiadores desta candidatura têm espalhado fake news em redes sociais, relacionando o espetáculo ao movimento.

    A bem da verdade, vimos a público esclarecer que não há qualquer relação entre o espetáculo, e de resto, toda a programação do Conexão Dança, e o referido protesto. Em tempo, informamos que “Batucada” será reapresentado hoje, às 19h, no Fanzine (Praça Manoel Beckman, Av. Beira-Mar, Centro).

    Fake news têm sido a tônica da campanha eleitoral do até aqui líder de intenções de votos nas pesquisas de opinião, fruto de um processo de negação das artes, do outro e até mesmo da História. Não é de estranhar, por exemplo, que o citado candidato já tenha manifestado a intenção de extinguir o Ministério da Cultura, caso eleito.

    Agradecemos a atenção e a presença.

    SauDANÇAções,

    Marcelo Evelin e Erivelto Viana, respectivamente idealizadores do espetáculo e do festival.

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

    Presidente da Associação Comercial do Maranhão usa entidade contra a Faculdade Santa Fé; confira

    NOTA À IMPRENSA 

    A FACULDADE SANTA FÉ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO EIRELI vem por meio desta esclarecer aos pais, alunos, professores, demais colaboradores e à sociedade maranhense que, diante denúncias infundadas realizadas pelo COLÉGIO SANTA FÉ, o qual tem como sócio o Sr. Felipe Maranhão Mussalém, atual presidente da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO MARANHÃO (ACM), agindo em ação orquestrada com seu sócio Paolo Maranhão Mussalém, resultou no ajuizamento pela ACM de uma AÇÃO CIVIL PÚBLICA (Proc. nº – 0831394-09.2018.8.10.0001 – Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís – MA), em defesa de suposto interesse da classe, mas tendo como único denunciante o próprio Colégio Santa Fé, sob a falsa alegação de que estaria exercendo suas funções educacionais sem a devida autorização dos órgãos competentes, esclarece o que segue:

    1. É verdade que um dos sócios da empresa denunciante, o Sr. Felipe Mussalém, também é o Presidente da Associação Comercial do Maranhão, titular da Ação Civil Pública ora ajuizada em face da FACULDADE SANTA FÉ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO EIRELI, sob a alegação de que estaria funcionando sem a devida autorização dos órgãos educacionais competentes;

    2. Depreende-se que tal denúncia é completamente descabida, visto que nossa instituição encontra-se regularizada perante todos os órgãos Estaduais e Municipais competentes, o que lhe permite atuar no ramo da educação, inclusive com a emissão de certificados válidos;

    3. Outrossim, patente é a demonstração do uso indevido da Associação Comercial do Maranhão para atender interesses pessoais, visto que o Sr. Felipe Mussalém, sócio da empresa denunciante e Presidente da ACM tem interesse direto no deslinde dessa ação, pois, além de atuar no mesmo ramo empresarial, este usa a Associação Comercial como forma de intimidar a denunciada, usando de sua força institucional, desviando a finalidade da referida entidade, demonstrando abuso de poder no uso de suas atribuições;

    4. Informa-se também que o Sr. Felipe Mussalém usa de sua força institucional como forma de retaliação, visto que é réu em dois processos movidos pelo grupo empresarial do qual nossa empresa faz parte. Com isso, não se pode ter outra conclusão a não ser o uso da máquina da Associação Comercial como instrumento de vingança;

    5. Por fim, se a denúncia fosse legítima, desnecessário seria o ajuizamento de Ação Civil Pública, uma vez que a mera comunicação pela empresa denunciante aos órgãos competentes atingiria o mesmo fim almejado na inicial da ACP, o que demonstra, mais uma

    vez, o intuito de denegrir a imagem de nossa empresa, uma vez que o processo é público e pode ser rapidamente divulgado;

    6. Em conclusão, reitera-se que nossa empresa está LEGITIMADA para exercer suas funções e oferecer ensino fundamental e médio no Município de São Luís/MA e em qualquer localidade do Estado do Maranhão, pois atende a todas as exigências dos órgãos competentes e da legislação vigente, cujos documentos comprobatórios estão disponíveis em nosso portal eletrônico www.faculdadesantafe.com.br.

    Atenciosamente,

    Raimundo Silvino Junior – Diretor Geral

    Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.