Em 2015, logo após ter assumido a Secretaria de Indústria, comércio e energia, Simplício Araújo e o Maranhão foram surpreendidos com o fechamento da indústria de redução da Alumar e com mais de 5 centenas de pessoas demitidas.

Através da Secretaria de indústria, comércio e energia Simplício iniciou um desafiador debate para a reabertura da empresa, o principal problema era o custo da energia elétrica que trazia prejuízo a operação, além de outros entraves.

Com a complexa situação encontrada e imaginando que as variáveis envolvidas iam além do alcance do governo estadual, Simplício construiu duas linhas de trabalho para a retomada da Alumar e para a imediata geração de novos empregos.

Para a retomada foi construído uma longa discussão para um novo incentivo fiscal que pudesse oferecer condições para o funcionamento da Alumar sem prejuízos, que teve seu desfecho no início deste ano.

Mas para a geração imediata de empregos em 2015, a saída foi rever o compromisso feito pelo governo estadual quando da implantação da Alumar, quando o então governador João Castelo destinou uma enorme área do distrito industrial para a empresa e também para possíveis ampliações.

Simplício solicitou a devolução da área para o governo e imediatamente destinados a área a diversos empreendimentos que já se instalaram e funcionam atualmente no local gerando 4 mil empregos diretos e 2 mil indiretos.

Até 2023 serão mais de 10 mil empregos na área, com as empresas que já estão buscando aprovar seus projetos e linhas de financiamento. Um dos inúmeros excelentes resultados da gestão de Simplício, uma realidade para mais de 6 mil famílias que estão tendo a oportunidade de mudar as suas vidas e o futuro das suas famílias.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.