Por Luís Cardoso

Desde que iniciei como jornalista em 1979 nunca sofri um processo, mas apenas algumas advertências e ameaças por causa da ousadia e coragem de denunciar. Mas quando iniciei no mundo da blogosfera, em 2010, tudo virou. 

Por causa de denuncias contra desembargadores e juízes (alguns), políticos e empresários, blogueiros são condenados. Nunca antes as denúncias atingiam tanto quem vendia sentença, que atuava dos dois lados do balcão, dos gestores municipais que ficam ricos da noite para o dia. Nunca, nos tribunais de Justiça chegaram tantos processos.

Sou considerado o que recebeu mais processos e o que mais derrubou tantas ações judiciais, inclusive nos tribunais de Brasília. Mas com a recebida hoje não sei se sorria lamentando ou se lamentava chorando com o injusto bloqueio do meu salário.

Logo o salário (conta acima) que pago as escolas de três filhos menores, inclusive o de minha amada Malu de 3 anos. Com o salário que estava programado hoje para pagar o aluguel de casa, ir ao supermercado, ao parquinho com as crianças, e depois tomar umas que ninguém é de ferro.

Nunca imaginei um dia que meu salário fosse servir para pagar ação por danos morais a quem quer que seja. Infelizmente aconteceu. Já fui condenado por coisas absurdas. Fiz a governadora Roseana demitir seu secretário de Educação, Anselmo Raposo, por uma roubalheira sem tamanho.

Fizeram uma licitação em um dia, o processo percorreu todo seu trâmite no mesmo dia e, pasmem, e o pagamento da metade do contrato nas mesmas 24 horas. Um ano depois o corrupto processou o blog e ganhou. No ano passado Raposo e sua turma foram condenados pelo TCE a devolver milhões daquilo que foi subtraiu da Educação. Mesmo assim, continuo condenado. Só mesmo no Maranhão!

Já fui condenado em outros processos movidos por gestores municipais, empresários e outros políticos. Andei encarando o governador Flávio Dino em audiências com condenações e outras com conciliações. Tem horas que penso em desistir.

Aqui no Maranhão o réu vai contra o poderoso, contra uma banca de bons e caros advogados, além de juízes já devidamente instruído simplesmente por odiarem blogueiros. Somos o capeta, o diabo que o parta, as trevas por não aceitarmos injustiças. A maioria dos processos que enfrentamos foi para fazer denuncias que nos chegam e publicamos.

Confesso que hoje, ao olhar o meu contracheque zerado, estou aqui relutando se amanheço o sábado escrevendo no Blog do Luís Cardoso. Parte da minha família pede que eu pare, principalmente depois de uma operação equivocada da PF com pedido de prisão e depois de prestar depoimento, liberado. Mais na frente tratarei do assunto. Disse ao delegado da operação que em tudo aquilo haviam as impressões digitais e de uma barriga de um governante. O delegado tentou decretar minha prisão, mas desistiu.

Mas ao mexer com os alimentos dos meus filhos menores e por não suportar mais as perseguições, não tenho mais estímulos. Ontem mesmo um delegado alertou: pega leve que você também está sendo investigado. Só temo os castigos de Deus! Sei do que o governo de Flávio Dino é capaz e usa sua força policial para tudo.

Que Deus nos proteja!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.