Ao contrário do que espalham pelos jornais, out door, emissoras de rádios e TVs, o curso Wellington não aprova a maioria das pessoas que se submete ao concurso público para preenchimento de vagas no serviço público.
Nos últimos concursos, o que tem se observado é que a boa parte dos aprovado vem de estados vizinhos, como o Piaui e Ceará.
Em Teresina, por exemplo, existem dezenas de cursos que brigam entre sí para quem faz o maior número de aprovados em São Luís, vez que as vagas estão escassas nas repartições públicas daquela capital.
Aqui na terrinha, o ex-militar Wellington, dono de curso, acha que já aprovou mais de 10 mil pessoas, o que é um tremendo exagero.
A depender do número real dos aprovados em seu curso, Wellington não se elege nem a vereador do interior, imagina, então, deputado estadual. No máximo disputará vaga para síndico de bloco habitacional.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.