O presidente do Senado, José Sarney, disse nesta terça-feira (16), que ficou satisfeito com a repercussão de seu discurso no plenário para falar sobre a crise administrativa que toma conta do Senado com as várias denúncias contra funcionários e senadores,

tiao-viana-demostenes-torres-jose-sarney

Ao ser indagado por jornalistas sobre se achava que a repercussão ao seu pronunciamento seria boa, respondeu: “Acho que sim. Eu não disse nada que não era verdade”, comentou rapidamente.

Questionado sobre as informações de que exoneraria o atual diretor-geral da Casa, Alexandre Gazzineo, apontado como responsável pela maioria dos atos secretos da mesa diretora do Senado, Sarney desconversou. Inicialmente emudeceu e disse que os jornalistas estavam preocupados demais com isso. Depois, disse: “se vocês tiverem alguma indicação me façam”, concluiu.

Ele negou ainda que a Polícia Federal será chamada para investigar a origem dos atos secretos do Senado. Segundo o senador, a última vez que a “polícia e o Exército” entraram no Congresso foi na época da ditadura. “Eles vão investigar o que? Está aberta uma comissão interna. Vai chamar a polícia para que?”, afirmou Sarney.

Sarney disse que o próprio Senado é que tem que resolver essa questão. “Nós temos que resolver os nossos problemas e vamos resolver”, disse voltando para o plenário.

Com informações do G1

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.