De nada adianta o velho cacique e dono do Maranhão, José Sarney, se esconder. Ele é sim o grande feitor da figura de Flávio Dino, desde criança quando deu ao pai Sálvio Dino todas as condições de bons empregos para fazer o menino estudar em boas escolas, como Maristas. Sarney até liberou Dilma para empregar Flávio Dino na Embratur. 

Dino se revoltou ainda jovem, mas como um encosto, lá estava Sarney por detrás de tudo. O velho foi procurado por Flávio Dino na mansão do Calhau para ser prefeito de São Luís, em 2008. Sarney topou e Dino perdeu para João Castelo.

Foi Sarney quem mandou Edinho Lobão sair candidato por saber que o caminho da vitória para Flávio Dino seria mais fácil. E ainda ordenou a filha Roseana a cruzar os braços e fechar a boca dos Leões.

O velho cacique, que sempre foi amigo e protetor dos comunistas, mandou Flávio Dino liberar os alugueis camaradas. Foi ele, sim, quem mandou o governador trocar os voos comerciais por jatinhos fretados, alugar e comprar helicópteros. Imaginava que a queda era mais fácil.

Não adianta, foi o senhor quem mandou, desde 2015, Dino implantar na Saúde as mesmas práticas do governo da filha Roseana. Não teve a menor diferença do período de Ricardo Murad. E ainda por cima mandou nomear Lula na Saúde só para lembrar o nome do ex-presidente.

E quando a gente menos esperava, Sarney buzinou no ouvido do governador e ele nomeou um monte de evangélicos como capelão na PM para garantir votos e reservar um lugar no céu para seu guru.

Flávio Dino encheu o Maranhão de asfalto, mas o traquino Sarney cutucou a bunda de São Pedro que fez chover e lá foi embora o breu.

Sarney foi quem deu ordens para atrasar os salários dos médicos para valorizar a cura por Bita do Barão. E ainda por cima  mandou aumentar os impostos dos pequenos e baixar os tributos dos grandes. Não satisfeito, criou a CPRv. A ordem agora é arrecadar. Nem precisa dizer que Dino adorou.

Mas a maldade maior foi mandar Flávio Dino buscar sua filha Roseana antes que a fúria do furação Katrina se abatesse sobre a Flórida. Depois disso, nunca mais o governador teve sossego. E para completar, ainda lhe roubou o amigo José Reinaldo Tavares.

Foi Sarney quem escreveu a carta e puxou a corda que enforcou Mariano de Castro e quase faz Rosângela Curado tomar chumbinho. E dizem que ainda ficou com R$ 17.999,999,99  dos R$ 18 milhões roubados da Saúde. E se o secretário de Saúde for preso, a ordem foi dele.

E o mais esquisito: Sarney mandou, depois desmandou, remandou e mandou desmentir que a PM e PC iriam espionar o eleitor da oposição até o momento da urna.

Por fim, resta comprovado que Sarney não quer o bem do Maranhão. Afinal, foi ele o responsável pela obra que fez e esqueceu de limpar chamada Flávio Dino. Uma grande merda!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.