A pesquisa e a descoberta pelo maranhense de São Benedito do Rio Preto, professor doutor Rogério de Mesquita Teles, de uma planta não catalogada pela ciência e a sintetização de seu óleo essencial foi motivo para distinção, na tarde desta segunda-feira, 16, pela Câmara de Vereadores de São Luís, com o título de Cidadão Ludovicense. O óleo da Dizygostemon riparius será, no médio prazo, processado pela indústria química e usado no combate às larvas do mosquito da dengue e chycungunha, o Aeds Aegypt.

Este reconhecimento foi proposto pelo vereador Sá Marques (PHS). A sessão solene para a concessão da honraria foi presidida pelo próprio Sá Marques e contou com a presença do secretário de Relações Institucionais, Nonato Chocolate, que representou o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Também estiveram presentes, além do homenageado, seus familiares e a professora do Instituto Federal de Educação, Regina Muniz, colega do doutor na instituição.

O vereador Marques, também professor, ao usar a tribuna ressaltou que Rogério Teles pertence à velha guarda da Educação que está “no Olimpo”, no lugar mais alto.

Ele frisou que o cientista, dentre outras qualidades, é competente, possuí elevada ética, tem alto senso de cidadania e, por isso, é uma unanimidade no segmento da educação. “Somente o título de cidadania a ele conferido é mais sublime que aqueles qualificativos citados. Ele é um pesquisador renomado que só os que desejam desmontar a educação brasileira não o respeitam. Você descobriu um larvicida para combater o mosquito da dengue e merece o nosso respeito e apoio”, resumiu.

AGRADECIMENTOS

Rogério Mesquita, sem afetação, mas feliz com o reconhecimento, agradeceu a distinção da Câmara, ao vereador Marques pela iniciativa, a sua família pelo suporte incondicional e lembrou: “Diz-se que não podemos escolher o local para nascermos, mas podemos escolher o lugar para vivermos. Eu nasci em São Benedito do Rio Preto e escolhi São Luís para viver. Aqui estudei o ensino médio, cursei graduação e o mestrado em Química Industrial e Licenciatura na Universidade Federal do Maranhão e doutorado na Federal da Paraíba”.

Ao final, o cientista contou que quando estava estudando fora do Maranhão, nos momentos de saudades da terra natal, lembrava-se dos versos “eu quero voltar pra São Luís”, do cantor Cláudio Fontana e que agora cantarola a marchinha de carnaval “daqui não saio, daqui ninguém me tira”.

Sobre sua pesquisa, ele contou que da planta nova que identificou em São Benedito do Rio Preto e catalogou para a ciência botânica conseguiu isolar os acetatos de fenchila e de fenchol. Os dois princípios ativos irão compor o óleo essencial que será usado, no futuro, em larvicida para combate às larvas do mosquito da dengue. Para que o produto seja patenteado e comercializada a fórmula à indústria química, falta ainda o pesquisador concluir seu artigo técnico e publicar o texto em revista científica.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.