A prisão do vereador foi realizada ontem na cidade de Davinópolis, próximo de Imperatriz, com o apoio da Polícia do Civil do Maranhão, em conjunto com a Polícia Civil de Brasília.

O vereador, que não teve o nome revelado, junto com um casal de Goiás, cometeu crimes cibernéticos em uma instituição financeira, resultando em um prejuízo de R$ 4 milhões. A PC de Brasília vinha monitorando as atividades criminosas do político maranhense.

A função dele no grupo era arrumar pessoas que pudessem disponibilizar suas contas bancárias para receber as transferências indevidas e ficar com uma parte do ilícito. A Polícia Civil estima que o prejuízo em uma década seja de R$ 300 milhões em vários estados.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.