O pastor Bel (à esquerda, na foto abaixo com o colega Sampaio e Lobão), que se arvora líder de várias denominações evangélicas no Maranhão, inclusive a Assembleia de Deus, convenceu o senador Edison Lobão a abrir mão no Senado Federal da sua vaga por um período de cinco meses. E assim foi feito, com o pedido de licença de Lobão para tratamento de saúde e a desistência do primeiro suplente, Edinho Lobão, ele assumiu o cargo. Bel é o segundo suplente. 

No exercício do cargo, o acordo era fizesse a campanha de Lobão nas igrejas e o esperto Bel fosse candidato a deputado estadual, com o apoio dos evangélicos.

Lobão, em todas as eleições, sempre obteve ampla maioria dos votos das igrejas evangélicas. O acordo com o falso profeta era só para aumentar o número de eleitores.

Mas eis que Bel mudou a casaca e decidiu ser ele próprio o candidato ao Senado, em comum acordo com a deputada federal Eliziane Gama. Aí fez a irmã na fé desistir do apoio nas igrejas ao colega Weverton Rocha (também candidato a senador) para reforçar a dobradinha com Bel.

Para quem nunca se elegeu nem a síndico de quarteirão, chegar ao Senado da República por um período de cinco meses foi uma grande glória.

Agora, para quem deu um golpe usando os irmãos de fé e a própria igreja, a passagem pelo Senado pode ter sido a abertura da porta ao inferno. A propósito, onde o rápido senador aplicou suas emendas?

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.