Preso grupo que aplicava golpes em prefeitos, deputados e empresários no Maranhão

O superintendente da Seic, delegado Carlos Alessandro, explicou que o grupo agia clonando número de chip celular e utilizava um aplicativo de mensagens de texto se passando pelo dono do aparelho.

A quadrilha fez diversas vítimas em várias cidades do Maranhão, abrangendo pessoas ligadas a alguns políticos, tentando ter acesso a recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb, de determinados municípios.

O bando identificado como Diego Silva Fernandes, 34 anos; José Jorge Xavier Alves, 28 anos; Lottas Mateus Ribeiro Caldas, 23 anos; Hallen Devid Cosmo do Nascimento, 28 anos; Bruno Nascimento Alves de Morais, 27 anos; Marcos Aurélio Santos Freitas Filho, 29 anos; Marcia Sabastiana Sousa de Jesus, 47 anos e Anielle Raina Barreto Granjeiro, 37 anos foram autuados pelos crimes de estelionato e associação criminosa.

Vale ressaltar que Hallen Devid, no ano de 2018 havia sido preso pela SEIC devido a prática da mesma modalidade deste crime, mais, estava solto usufruindo do benefício da liberdade provisória.

Líder do grupo que aplicou golpes em deputados, levou R$ 70 mil de Adriano Sarney

Policia Federal e SEIC prendem em São Luís o chefe da quadrilha que aplicou golpes em sete deputados maranhenses

Sete deputados no Maranhão são vítimas de golpes do falso empréstimo por contas bancarias

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Mais de 560 mil pessoas caíram no golpe do material escolar de graça

Notícias R7

Vítimas acessaram um link falso enviado por criminosos pelo WhatsApp e também pelo Messenger para roubar dados pessoais

Mais de 560 mil pessoas já foram atraídas pela campanha maliciosa que promete brindes de produtos da Faber-Castell. O WhatsApp e o Messenger, do Facebook foram utilizados para disseminar o golpe que pode roubar dados pessoais ou instalar vírus.

Os cibercriminosos estão aproveitando o período de compras de material escolar para atrair as vítimas. Nos primeiros dias de circulação da campanha, mais de 70 mil acessos foram registrados ao link malicioso. Do dia 03 de janeiro até a última segunda-feira (7), mais de 568 mil pessoas acessaram o site malicioso, segundo o monitoramento da Kaspersky, empresa especializada em segurança digital.

Ao clicar no link, o usuário é orientado a compartilhar a mensagem recebida com cinco amigos no WhatsApp para liberar o prêmio. Logo na primeira página exibida o usuário precisa informar número de telefones, e-mail e endereço. Tais dados podem ajudar os criminosos a cometerem mais fraudes futuramente.

Na sequência, se o sistema operacional do celular for iOS, ocorrerá vários redirecionamentos e será oferecido a instalação de aplicativos legítimos e que o criminoso ganha dinheiro por cada instalação. Caso o usuário use Android, pode ser oferecida a instalação de um aplicativo malicioso ou somente o redirecionamento para uma página cheia de propagandas, que renderá lucros ao criminoso.

Uma novidade do novo golpe é o uso do Facebook Messenger. Na página maliciosa foi inserida a opção de compartilhar o link por esse aplicativo, o que indica que os criminosos estão buscando diversificar as plataformas dos ataques. Dos mais de 568 mil acessos ao site malicioso, pouco mais de 950 vieram do link compartilhado via Facebook Messenger.

Procurada pelo R7, a Faber-Castell enviou a seguinte nota de esclarecimento:

A Faber-Castell não está realizando nenhuma ação promocional via canais de terceiros. Além disso, a companhia esclarece que quando realiza uma promoção a faz por meio de seus canais oficiais como sites e redes sociais.

O jurídico da empresa já foi acionado e está avaliando possíveis providências.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Previna-se: veja como é feito o golpe pelo WhatsApp

Ultimamente golpes estão sendo dados com a sua ajuda em aparelhos de celulares via o dispositivo de WhatsApp. Os bandidos violam seu aparelho e acabam até fazendo você a transferir dinheiro, levando o usuário a pensar que vai ajudar a um amigo ou parente.

No Maranhão foram vítimas oito deputados, empresários e prefeitos. Em vários estados outros políticos também saíram perdendo. A quadrilha tem o núcleo principal em São Luís do Maranhão. Os bandidos foram presos, mas outros estão em liberdade e aplicando o golpe.

Ouça abaixo nos áudios como funciona:

Policia Federal e SEIC prendem em São Luís o chefe da quadrilha que aplicou golpes em sete deputados maranhenses

Sete deputados no Maranhão são vítimas de golpes do falso empréstimo por contas bancarias

Líder do grupo que aplicou golpes em deputados, levou R$ 70 mil de Adriano Sarney

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Líder do grupo que aplicou golpes em deputados, levou R$ 70 mil de Adriano Sarney

Dono de Lava Jato e ex-morador do Barramar, Leonel Silva Pires Júnior, vem sendo investigado desde 2016 quando iniciou os primeiros golpes pela internet para ganhar dinheiro de forma perigosa. Agora, entre julho de 2017 a julho de 2018, ele liderou cinco comparsas que aplicaram os golpes em sete deputados maranhenses. Só com Adriano Sarney, filho do deputado federal Sarney Filho, Leonel embolsou R$ 70 mil. Ele foi preso hoje de manhã numa operação da SEIC e PF.

Bastante conhecido nas baladas da capital, Leonel já namorou belas jovens da alta sociedade e ultimamente só morava em condomínios de alto padrão. Os negócios (golpes) estavam rendando um bom dinheiro e geralmente variavam entre R$ 10 a R$ 70 mil cada. Dos sete deputados sondados, apenas um escapou.

O líder do governo, deputado Rogério Cafeteira, foi mais esperto. Do outro lado do aparelho, pelo WhatsApp, um colega seu de parlamento lhe pediu emprestado R$ 10 mil por causa do limite excedido e que desejava pagar uma conta no valor do dinheiro solicitado.

Solícito, Cafeteira não se recusou em ajudar ao colega. Disse que faria a transferência, mas depois perguntou onde o parlamentar estava, que iria deixar o dinheiro em espécie no local. Na verdade, o falso parlamentar que havia clonado o aparelho do verdadeiro deputado, acertou que esperaria, mas que a transferência seria melhor. Cafeteira foi, mas o golpista não esperou.

Hoje, a SEIC a PF prenderam o grupo, incluindo o líder Leonel, que estava no condomínio Ilhas Gregas, no Olho D’Água, para onde havia mudado recentemente.

A ação da PF aconteceu simultaneamente no Maranhão, Mato Grosso do Sul e Brasília. Três ministros também tiveram os celulares clonados  e caíram no golpe.

Agora, no período da tarde, Leonel e seu grupo serão inquiridos na sede da PF por delegados federais e da SEIC. Falarão sobre os golpes e suas vítimas. Em seguida serão levados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Policia Federal e SEIC prendem em São Luís o chefe da quadrilha que aplicou golpes em sete deputados maranhenses

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Pastor Bel trai o senador Edison Lobão e os evangélicos do Maranhão

O pastor Bel (à esquerda, na foto abaixo com o colega Sampaio e Lobão), que se arvora líder de várias denominações evangélicas no Maranhão, inclusive a Assembleia de Deus, convenceu o senador Edison Lobão a abrir mão no Senado Federal da sua vaga por um período de cinco meses. E assim foi feito, com o pedido de licença de Lobão para tratamento de saúde e a desistência do primeiro suplente, Edinho Lobão, ele assumiu o cargo. Bel é o segundo suplente. 

No exercício do cargo, o acordo era fizesse a campanha de Lobão nas igrejas e o esperto Bel fosse candidato a deputado estadual, com o apoio dos evangélicos.

Lobão, em todas as eleições, sempre obteve ampla maioria dos votos das igrejas evangélicas. O acordo com o falso profeta era só para aumentar o número de eleitores.

Mas eis que Bel mudou a casaca e decidiu ser ele próprio o candidato ao Senado, em comum acordo com a deputada federal Eliziane Gama. Aí fez a irmã na fé desistir do apoio nas igrejas ao colega Weverton Rocha (também candidato a senador) para reforçar a dobradinha com Bel.

Para quem nunca se elegeu nem a síndico de quarteirão, chegar ao Senado da República por um período de cinco meses foi uma grande glória.

Agora, para quem deu um golpe usando os irmãos de fé e a própria igreja, a passagem pelo Senado pode ter sido a abertura da porta ao inferno. A propósito, onde o rápido senador aplicou suas emendas?

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.