O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) identificou que cinco alunas do curso de Medicina no Campus de Pinheiro, que entraram pelo sistema de cotas, fraudaram o certificado de conclusão do ensino médio. De posse das informações, a Ufma cancelou as matrículas das alunas e o desligamento voluntário do curso.

O procurador da República, Juraci Guimarães Júnior, disse que os documentos de conclusão do ensino médio nas escolas públicas das referidas alunas eram falsos em razão das mesmas terem estudado em escolas privadas. A cota é destinada apenas para quem estudou somente na escola pública.

O Ministério Público Federal orientou ainda o secretário de Estado de Educação do Maranhão e o diretor do Ifma (Instituto Federal do Maranhão) que façam cumprir rigorosamente os requisitos para emissão de certificados de conclusão do ensino médio com base nos resultados do Enem e ainda enfatizou a necessidade de que a Secretaria de Estado da Educação ateste que os alunos não tenham cursado anteriormente o ensino médio em instituição privada.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.