O presidente da Câmara Municipal de São Luis, Osmar Filho (PDT), vem conseguindo se consolidar junto aos principais lideres da capital e do seu partido, o PDT, para concretizar seus projeto de disputar a sucessão do prefeito Edivaldo.  Mas só isso não é o suficiente. Afinal, na corrida ele tem ainda uns cinco concorrentes à sua frente nas pesquisas.

Hoje, o presidente da Executiva Estadual do PDT e senador Weverton Rocha alertou que Osmar Filho ou outro pretendente do partido precisam se viabilizar até o final do ano para garantir a vaga de candidato. Ou seja: faz-se necessário subir nas pesquisas.

“Sou de grupo. Temos uma aliança de 16 partidos que merecem ser levados em consideração. O PSB tem o Bira do Pindaré, o DEM o Neto Evangelista. O Osmar Filho já comunicou que é pré-candidato e se até o fim do ano ele conseguir se viabilizar, ele tem partido e será candidato. São Luís é diferente, tem dois turnos, cada um pode fazer sua campanha no primeiro turno e no segundo podemos nos juntar”, avisou Weverton.

Se pegarmos o exemplo do próprio senador na última eleição majoritária, no final de julho de 2017 ele já percorria o Maranhão se apresentando como pré-candidato, portanto  mais de um ano antes do pleito. Chegou no início de 2018 já aparecendo na terceira posição, atrás apenas de Lobão e Sarney Filho. Faltando seis meses da eleição, ele já era o segundo e saiu vitorioso com o maior número de votos já dado a um senador no Maranhão.

Osmar Filho tem hoje a maioria do apoio de seus pares na Câmara Municipal, da militância do PDT, das bancadas estadual e federal alinhadas ao governo Dino e dos dois senadores. Tem a faca e o queixo no prato para se viabilizar.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.