Durante a sessão plenária na Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual Wellington do Curso apresentou documentos que comprovam que a empresa ganhadora do processo licitatório para exploração dos serviços de travessia São Luís/Cujupe está com documentos vencidos e dispõe apenas de uma capacidade para 44 passageiros. É o que mostra o documento de propriedade sob o nº 0211029203.

Sobre o caso, o deputado Wellington informou que já oficiou o Ministério Público para a adoção das devidas providências.

“Oficiei o Ministério Público para que apure os fortes indícios que apontam para direcionamento no procedimento licitatório que resultou na contratação da empresa ‘Celte Navegação’. Há relatos, inclusive, de que essa empresa nem dispõe de ferry – boat, mas sim de pequenas balsas.

Agora, recebemos um documento que atesta que a referida empresa está com documentos vencidos e dispõe apenas de uma capacidade para 44 passageiros. É uma balsa que não tem propulsão. Isso é o que mostra o documento de propriedade sob o nº 0211029203. Tudo isso deve ser apurado.

Afinal, essa licitação não deveria ser para beneficiar os aliados de Flávio Dino, mas sim os maranhenses que, diariamente, necessitam de ferry para garantir a locomoção. Como deputado estadual, o que posso fazer é fiscalizar. Aguardo, portanto, que o Ministério Público também investigue, já que há fortes indícios de direcionamento na licitação”, informou o deputado Wellington.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.