Alegando que estava sendo traído pela esposa, Saulo Pereira Nunes, 38 anos, matou a facadas o pastor da Assembleia de Deus, Mackson da Silva Costa, 37 anos, em 11 de outubro deste ano, na sua própria residência, no Maiobão. E para a surpresa da família da vítima, o assassino foi liberado ontem pela Justiça.

Preso desde o dia 14 de outubro, portanto menos de um mês, Saulo foi beneficiado pela decisão judicial, fortalecendo a tesa de que a polícia prende e a Justiça solta.

O crime, conforme as investigações, ocorreu no dia 11 de outubro quando o assassino armou uma “casinha” para a vítima após descobrir que o pastor estava tendo relacionamento amoroso com sua esposa. Saulo usou o telefone da mulher e pelo WhatsApp convidou o pastor para ir à sua casa, no Maiobão.

Confirmado crime passional: pastor mantinha caso com a mulher do assassino

O líder evangélico havia saído desde de manhã cedo e confirmou para a família que voltaria para o almoço, o que não aconteceu. Ao chegar no Maiobão e entrar na casa, Mackson foi esfaqueado por Saulo que, para se livrar do corpo, enterrou o evangélico no quintal da própria casa.

Encontrado enterrado em quintal o corpo do pastor que estava desaparecido

A vítima ficou desaparecida por alguns dias e o carro dele foi encontrado em uma avenida do Maiobão, o que se tornou mais fácil para a polícia desvendar o crime.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.