Na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, testemunhas que estariam no corsa classic dirigido pelo motorista Edmilson Azevedo negaram que ele tenha sido assaltado, na noite de domingo (06), no bairro Liberdade. Informaram ao delegado que o motorista havia enfrentado um motoqueiro e acabou sendo baleado e morrendo.

Conforme a versão das testemunhas, eles pegaram uma corrida para a Liberdade, e ao chegar ao local uma moto teria trancado o carro do aplicativo UBER. Contaram que o motorista arrancou o carro e o motoqueiro seguiu em frente e foi perseguido,  em dado momento a pessoa que estava na moto sacou de uma arma e deu vários tiros contra o motorista. Uma das balas teria atingido o braço de um dos passageiros.

Ao saber da nova versão um grupo de motoristas do aplicativo Uber não acreditou no que ouviram. Para eles houve latrocínio, assalto seguido de morte.

Em tentativa de assalto, motorista da UBER é baleado na Liberdade e morre no Socorrão

Centenas de carros ocupam o Cohatrac no velório do motorista da Uber

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.