Sob os olhares perplexos e omissos de artistas e produtores culturais que aguardavam flexibilização mais sensata, o governador Flávio Dino anunciou o aumento de 100 para 150 pessoas em shows. Enquanto isso, na maioria de outros estados, a liberação já atinge até 30% da capacidade de ocupação de cada espaço.

No momento em que existe uma queda no número de mortes e infecção pela covid-19 no Maranhão e com muitas pessoas passando fome por estarem desempregadas, o governador continua insensível ao problema.

São milhares de garçons, gerentes, atendentes e seguranças particulares fora do emprego, além dos artistas e músicos que atravessam momentos de extrema dificuldades, sem contar com a movimentação noturna de táxis e carros de aplicativos que deixam de ganhar dinheiro.

Aos artistas caberia o papel de vanguarda na luta por medidas de flexibilização maior como aconteceu em outras cidades. Mas aqui onde o prefeito é evangélico e não quer nem saber de festas, a população fica tolhida no seu direito ao entretenimento.

Na terça-feira, dia 13, o prefeito de Macapá assinou a flexibilização para show com até 50% da capacidade de cada espaço…

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.