Ora, vejam que em 14 dias da testagem de pouco mais de 54 mil pessoas, 28% deram positivo para o vírus e muitos trataram de se recolher em domicílio familiar (quando já havia tomado duas vacinas) para evitar o contágio, ou outros que acabaram sendo obrigados a internação, ameaçando criar um novo colapso no sistema de saúde.

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, até comemorou o fato de em apenas um dia atingir mais de 11 mil testagens e achou que São Luís chegava em primeiro lugar entre as capitais. Puro engano ou vontade de querer enganar-se e aos moradores da capital. Até a vizinha Teresina alcançou números maiores.

 A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) informou a suspensão na sexta-feira (14) da testagem em massa da população. E vai aguardar que o Ministério da Saude envie novas remessas até o dia 19, quinta-feira.

E até lá, salve-se quem puder. Moro sozinho tem uns três meses e fiz a testagem, que deu negativo, na semana passada, pagando mais de R$ 100.  Optei por não sair de casa, mas algumas pessoas que trabalham comigo não conseguiram fazer o teste por causa das enormes filas concentradas nos postos públicos.

São Luís tem mais de 1 milhão de habitantes e a testagem não atingiu ainda 8% de quem pode ou deve ser examinado. Bem aí que reside o périgo. Voce pode estar ao lado de quem está positivo para a covid-19 sem saber.

A falta de responsabilidade tem nome e sobrenome: planejamento. Por qual razão a Prefeitura de São Luís não pediu bem antes mais tstagens? O que custa ao Eduardo Braide pedir socorro ao Governo do Estado? Nada! A vaidade do prefeito fala mais alto, o que descamba para a prepotência.

Anotem: quando voltar a testagem, aquilo que chegou a 28% de resultados positivos, deve ultrapassar a 40%. Tudo por falta de planejamento e negligência do gestor municipal.

Lamentável!

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.