O instituto Gerir, que administra o Hospital Carlos Macieira, teve o contrato encerrado pela Secretaria de Estado da Saúde por motivos que incluem falta de pagamento dos salários dos servidores e outros descumprimentos. O governo deve contratar imediatamente outro instituto que tenha atuação séria e não receba constantemente reclamações  de péssimo gerenciamento, como o anterior.

Pobres dos trabalhadores, notadamente enfermeiros, que eram contratados pelo regime celetista através do Gerir. A exemplo de outros, como o Bem Viver e ICN, ficarão sem receber seus direitos trabalhistas e o governo comunista dirá que a responsabilidade não é dele.

Embora tenha recebido boa parte do dinheiro para a qual foi contratada, a Gerir tinha o costume de não pagar seus funcionários. E ainda informava que não estava recebendo um centavo. E os trabalhadores não sabiam a quem reclamar.

Quando o ICN e Bem Viver tiveram seus contratos encerrados, milhares de funcionários ficaram sem receber nada dos direitos trabalhistas.

A pior mesmo foi o Corpore, um instituto picareta, com sede no Paraná, acostumado a aplicar calotes por onde passou, teve o contrato encerrado antecipadamente por descumprimento de acordos. Foi embora, não pagou dívidas trabalhistas, meses atrasados de fornecedores e funcionários, e ficou por isso mesmo.

Assim que chegou ao Maranhão, o Corpore foi denunciado pelo blog por causa dos calotes aplicados em outros estados. Cinicamente, o instituto entrou com uma ação contra o Blog do Luis Cardoso em sua sede de origem, no interior do Paraná, e a Justiça de lá condenou o titular do blog em duas ações por danos morais.

Os calotes foram comprovados tanto aqui quanto em outros estados, mas lamentavelmente a Justiça do Paraná foi levada ao erro.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.